Publicidade

Com ritmo alegre e dançante, Discopraise conquista público de todas as idades

A música cristã tem se firmado na preferência dos brasileiros nestes tempos de pandemia. Com canções que falam de esperança, salvação e fé em um Deus vivo, com ritmo alegre e dançante, a banda Discopraise se destaca cada vez mais no cenário nacional. Suas músicas estão entre as mais pedidas na Rádio Melodia FM. Eu conversei com o vocalista Clayton O’lee que falou das novidades e projetos ainda para este ano de 2020, juntamente com seus companheiros Jota Albuquerque, Davi Moreno e Cláudio Gomes.



Como a banda se adaptou para manter o contato com o público neste momento de afastamento social?

Nós, assim como a grande maioria dos artistas, vivemos esse período privilegiado da das redes sociais. Temos investido muito nisso. Fizemos três lives. A última foi a transmissão do nosso primeiro show drive-in, que aconteceu no aeroporto de Brasília. O público estava todo dentro de automóveis. Foi uma experiência muito diferente, mas foi muito especial. Nós também, graças a Deus, temos um relacionamento muito bom com vários líderes do Brasil e a gente tem feito muitas lives pelo Instagram.

A outra novidade é o projeto que lançamos nesta pandemia chamado “Feito em Casa” volume 2. Durante dois meses, lançamos uma música a cada 48 horas. E no intervalo entre um lançamento e outro, fazemos lives com cantores que participaram desse projeto. Essa é a maneira que a gente tem encontrado de se manter conectado com as pessoas que se identificam com a nossa mensagem e com o nosso som.



Em meio à concorrência com tantas lives, onde buscaram inspiração para se destacar?

A gente tem uma vocação real. Fazemos o que fazemos, porque amamos trabalhar com música cristã e com a mensagem de Jesus. Então a inspiração é esse, desejo de trabalhar todos os dias, de não conseguir ficar parado, de não conseguir ficar sem fazer música. Sem falar do amor de Deus. Quando você encontra a sua real vocação, seu propósito de vida, você não consegue ficar sem falar sobre isso. Eu acredito que essa vontade traduz um pouco do que nos inspira e do que nos faz continuar trabalhando na internet e também fora dela. E a maneira de se destacar é tentando nos manter atualizados, conectados com as novas plataformas e com as novas ideias que estão chegando.



Como está a produção deste novo projeto?

Estamos trabalhando num single. É uma música diferente, porque tem uma conexão muito grande com as crianças. A gente tem uma música chamada “Pedra na Mão” e nós recebemos vídeos de crianças curtindo essa música, dançando com os pais e isso enche nossos corações de alegria. Nós temos filhos pequenos, crianças que estão nessa estação da vida. Então, a gente escreveu uma música muito feliz, muito dançante e a gente pensou nas crianças quando fizemos essa música. Ela está sendo produzida com muito carinho e, muito em breve, estará chegando para abençoar muita gente através dessa canção.



O que representa para a Discopraise tocar na maior rádio evangélica do Brasil?

Sonhamos muito com essa parceria com a Rádio Melodia. Acredito que todo artista gospel no Brasil sonha ou já sonhou com isso. A gente pediu muito a Deus para isso acontecer e no tempo do Senhor aconteceu. O nosso primeiro contato real com a Rádio Melodia foi em 2012. Então já são 8 anos de um relacionamento que a gente agradece todos os dias, porque ele é precioso, mudou a história do nosso ministério e é essencial nesta nossa caminhada. 



E qual foi a primeira música a emplacar na rádio?

A primeira música que tocou na Rádio Melodia foi uma música chamada “Cara de Pau”, que fala de um assunto sério de uma forma bem humorada; uma música que tem um clima divertido, ela é dançante, tem uma essência bem carioca. Isso foi em 2012. Lembro que a gente fez uma festa quando ouvimos a música na Melodia pela primeira vez. Pensa num grupo de pessoas felizes. Acho que o Discopraise foi a banda que mais fez festa na vida por ter tido uma canção executada na Melodia. Momento inesquecível da nossa história.



E o público pode esperar mais novidades da banda para este ano?

Estamos escrevendo muita música nessa pandemia. Temos muitas ideias e, além desse single que vamos lançar para as crianças, estamos sonhando com um projeto de canções mais congregacionais. Temos esse lado da banda também, que são as músicas congregacionais, músicas suaves, com mais acústico, mais leve. Talvez aconteça a gravação de um disco ao vivo com transmissão pela internet. Estamos sonhando com muitas coisas boas ainda para este ano de 2020. Orem por nós.



E vocês já conseguem visualizar o mercado fonográfico cristão no pós-pandemia?

Olha eu acredito que a pandemia fez com que muita gente se aproximasse da música gospel. As pessoas estão com a mente cansada, entupidas por notícias terríveis, e passaram a procurar paz e esperança. E a música gospel tem experimentado crescimento nesse momento de pandemia. Acredito que a tendência seja crescer cada vez mais. Isso é uma conquista. A música gospel será como uma música que faz parte da história do brasileiro, independentemente se ele frequenta igreja ou não. A gente sabe que a música sertaneja tem uma coisa muito forte no cenário nacional; e eu acho que a música gospel cada vez mais vai se firmando como essa segunda força da expressão do coração do brasileiro. E acredito que, como o evangelho, continue crescendo e pode se tornar inclusive um dia a música mais ouvida em todo o Brasil.



Qual a mensagem que o Discopraise deixa para os leitores do Melodia News?

Quero em primeiro lugar agradecer mais uma vez por esse espaço precioso aqui. Nós sabemos o quanto é precioso poder falar com o público do grupo Melodia e poder ter esse espaço precioso que vocês têm. Muito obrigado. Deixo a todos a uma frase o meu grande amigo Rubens Souza que diz assim: “Seja sempre humilde como o mar, que se coloca abaixo de todos os rios e assim pode receber a água de todos eles.”. Espero que o nosso coração nesse tempo continue humilde, para que possamos receber essas águas da Vida, águas que fluem do coração de Jesus para transformar nossa história.