Vacinação contra coronavírus deve atingir inicialmente grupos prioritários
A descoberta de uma vacina contra o coronavírus está cada vez mais próxima e deve acontecer ainda este ano. Agora a principal dúvida é se haverá vacina para todos.

O Instituto Butantan, que pretende produzir a vacina Coronavac junto à empresa chinesa Sinovac, anunciou que planeja produzir 240 milhões de doses com o apoio de doações. No entanto, essa quantidade ainda não seria suficiente para atender toda a população, pois cada pessoa precisaria receber duas doses do imunizante.

Já em relação à vacina de Oxford, que, assim como a Coronavac, está sendo testada e deve ser disponibilizada no país, a estimativa é de 100 milhões de doses.

Autoridades em saúde falam sobre escolher grupos prioritários, como idosos e outras pessoas que também fazem parte do grupo de risco para a covid-19, assim que a vacina for disponibilizada. O mesmo seria feito com profissionais da saúde e aqueles que prestam serviços essenciais, e estão mais expostos ao vírus.

Lembrando que o Brasil tem quase 209 milhões de pessoas.

Dados mais recentes do Ministério da Saúde, divulgados na noite de ontem (23) mostram que dos 2,22 milhões de brasileiros que foram infectados pelo novo coronavírus, 68,6% se recuperaram da doença, 3,7% morreram e 27,7% estão em tratamento. 

Até agora, 1.570.237 pacientes se recuperaram da doença e  633.156 pessoas estão em tratamento.