Publicidade

O nosso Deus ainda é o mesmo Números 20

Quarenta anos antes, no início da trajetória do povo de Israel no deserto, já haviam passado pela mesma situação. (Êxodo 17.1-7)
Murmuração pela falta de água no deserto de Refidim. Questionaram Moisés, sua liderança, a saída do Egito chegando a ameaça-lo de apedrejamento.

CONTUDO, DEUS DEU INSTRUÇÕES VALIOSAS A MOISÉS:
• Passa adiante do Povo;
• Toma contigo alguns anciãos de Israel;
• Toma a vara que feriste o Mar Vermelho;
• “Eis que vou adiante de Ti e me porei sobre a rocha. Fere a rocha e dela sairá água para o povo e os animais.”

Quarenta anos depois um “de javi”, agora no deserto de Zim, Península do Sinai. E o lugar vai receber o mesmo nome pela repetição do erro do povo.
Mas nesse episódio, Moisés se nivela ao povo. Esquece sua autoridade, sua posição, sua identidade.
E nesse momento mais uma vez o povo murmura pela falta de água. O mesmo povo que vivera o milagre, o sobrenatural, novamente reclama, novamente murmura; se esquece de tudo o que o Senhor fizera.

DESSA VEZ AS INSTRUÇÕES DE DEUS SÃO DIFERENTES:

8 “Toma a vara, e ajunta a congregação, tu e Arão, teu irmão, e falai à rocha, perante os seus olhos, e dará a sua água; assim lhes tirarás água da rocha, e darás a beber à congregação e aos seus animais.”

O QUE MOISÉS FEZ:

10 ”E Moisés e Arão reuniram a congregação diante da rocha, e Moisés disse-lhes: Ouvi agora, rebeldes, porventura tiraremos água desta rocha para vós?”
11 “Então Moisés levantou a sua mão, e feriu a rocha duas vezes com a sua vara, e saiu muita água; e bebeu a congregação e os seus animais.”

Dessa vez Deus não manda Moisés passar adiante do povo. Dessa vez ordena que “fale à rocha”.
Deus ainda estava no meio do povo e era o mesmo Deus de 40 anos atrás.

Quem mudou foi Moisés.
Em Números 12.3, fala da rebeldia de Arão e Miriam contra sua autoridade. O texto diz que ele era o homem mais manso da Terra e naquele momento buscou em Deus socorro.
Em Números 20 desobedece a Deus ao falar ao povo o que Deus não mandara dizer. E a ordem de Deus era “falar” à rocha. Ele, no entanto, fere duas vezes chamando o povo de rebelde.
Sendo assim:

“E disse-lhe o Senhor: Esta é a terra que jurei a Abraão, Isaque, e Jacó, dizendo: À tua descendência a darei; eu te faço vê-la com os teus olhos, porém lá não passarás.”
Deuteronômio 34:4

Tudo pelo que Moisés trabalhou durante 40 anos se perdeu pelo ato de desobediência e rebeldia. Ele pode contemplar toda a terra prometida, mas não a conheceu. Não a possuiu.

8 “E os filhos de Israel prantearam a Moisés trinta dias, nas campinas de Moabe; e os dias do pranto no luto de Moisés se cumpriram.”

10-12 “E nunca mais se levantou em Israel profeta algum como Moisés, a quem o Senhor conhecera face a face; Nem semelhante em todos os sinais e maravilhas, que o Senhor o enviou para fazer na terra do Egito, a Faraó, e a todos os seus servos, e a toda a sua terra.
E em toda a mão forte, e em todo o grande espanto, que praticou Moisés aos olhos de todo o Israel.”

Atitudes impensadas sem obediência àquilo que o Senhor nos orienta em sua Palavra sempre trazem consequências desastrosas. Nosso ímpeto muitas vezes nos trai nos levando a agir sem conformidade com a vontade de Deus.

Moisés pagou alto preço por agir por sua própria vontade. Depois de anos vendo e vivendo tantos milagres; vendo a forte mão do Senhor desde a saída do Egito, em todo tempo, em todas as situações; Moisés não possuiu a terra que tanto almejara e pelo que tanto lutou.

Moisés não era mais o mesmo! Mas Deus não mudara. O Senhor era o mesmo Deus de justiça, o mesmo Deus que vela pela sua Palavra.

Mais lidas

A distância e a fé

Pr. Humberto Siqueira - Presidente da Convenção Batista Nacional do Rio de Janeiro

Siga-nos

s