Banco de leite humano usa WhatsApp para orientações Mulheres em fase de amamentação do Rio de Janeiro contam com mais um canal para acessar ao Banco de Leite Humano (BLH) do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz): o WhatsApp. O aplicativo esteve em teste e ficou funcionando há mais de um ano só para confirmações da coleta das doações.

Não há dúvidas de que a inovação tecnológica é muito útil na área da saúde. Ao falar em WhatsApp, o App permite, através do celular, ampliar a comunicação às mãos das pessoas. Assim, hoje diante da conjuntura do novo coronavírus (Covid-19), o aplicativo está sendo de muita utilidade para o BLH do IFF/Fiocruz, sendo utilizado para tirar dúvidas das usuárias, oferecer as orientações necessárias sobre aleitamento materno em tempos de pandemia, na recepção de novas doadoras e nas confirmações das doações.

Para falar sobre o funcionamento dessa via de comunicação, a coordenadora do BLH do IFF/Fiocruz, Danielle Aparecida da Silva, foi convidada:

Em que consiste a comunicação via WhatsApp que o BLH do IFF/Fiocruz disponibilizou para a população?

Há mais de um ano, o BLH busca melhorar o processo de comunicação com as doadoras de leite humano, optou por realizar um teste com o App de comunicação WhatsApp, pois percebíamos que muitas das vezes era necessário ligar mais de uma vez para a doadora e nem sempre conseguíamos confirmar a coleta da doação.

Em um primeiro momento, informamos as doadoras que a linha móvel era de uso apenas para mensagens e funcionaria em horário comercial. Enviávamos uma mensagem um dia antes para confirmação da coleta da doação. O sucesso foi imediato, observamos que as doadoras respondiam mais facilmente a uma mensagem no WhatsApp, e com o decorrer do tempo, as próprias doadoras já confirmavam a coleta antes mesmo de nós entramos em contato.

Com a adaptação à nova forma de comunicação, fomos enviando informes sobre a garantia da qualidade do leite humano durante a extração de leite, postagens sobre doação e promoção da amamentação, cartões de datas comemorativas, como Dia das Mães, Dia dos Pais, Natal e, atualmente, recomendações sobre a prevenção da Covid-19 e orientações sobre aleitamento materno em tempos de pandemia, além de solucionar algumas dúvidas pontuais. E assim nosso WhatsApp começou a funcionar na captação de novas doadoras, pois cada doadora que recebe uma postagem de doação de leite compartilha com familiares e amigas, que acabam sensibilizadas e se cadastram como doadoras.

Quem pode entrar em contato?

Qualquer mulher em fase de amamentação e que queira ser doadora.

Qual é o tempo estimado em que as pessoas recebem um retorno?

Respondemos em no máximo 24 horas, se for sobre doação o contato é imediato, se for alguma necessidade de apoio na amamentação, alguma dúvida, nossa equipe irá atender o mais breve possível.

Como o uso das redes sociais e da tecnologia têm impactado o trabalho do BLH durante a pandemia do novo coronavírus?

Este ano, com o advento da pandemia e as orientações de isolamento social, a Rede de Bancos de Leite Humano (rBLH) se reuniu na plataforma da Rede Universitária de Telemedicina (Rute) para celebrar os 10 anos do Dia Mundial de Doação de Leite Humano no contexto da pandemia de Covid-19, onde realizamos 31 eventos em 16 dias celebrando com as redes Ibero-americana, da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), e de todas as Unidades Federativas e Distrito Federal do Brasil, além da produção de 28 vídeos com depoimentos de profissionais de BLHs e doadoras sobre o sentimento da doação em tempos de coronavírus. Os vídeos estão disponíveis no Portal da Rede.

Com o uso do WhatsApp, dos eventos on-line e da criação de um Instagram do BLH conseguimos ampliar o número de doações, que este ano foram maiores nos meses de maio e junho quando comparados com o último ano, e com o uso destas plataformas conseguimos manter o número de mulheres assistidas em aleitamento materno pela equipe do BLH.

Para mais informações acesse:

WhatsApp: (21) 98508-6576
Instagram: @bancodeleite_iff
Telefones: 0800 026 8877 / (21) 2554-1703
Portal: www.rblh.fiocruz.br