Jovem que participou de

Em meio à pandemia do coronavírus, várias pessoas precisam sair às ruas porque têm que trabalhar, fazer compras ou ir ao médico. Elas correm o risco de se expor ao vírus, mas fazem isso por extrema necessidade. No entanto, há pessoas que fizeram do risco de infecção uma “diversão”, que na maioria das vezes termina tragicamente. Este foi o caso de um paciende de 30 anos, no Texas, EUA.

Pouco antes de morrer em razão da Covid-19, o homem disse aos enfermeiros: "Acho que cometi um erro”.

Ele havia participado de uma "festa de covid", organizada por alguém com a doença. Este tipo de “festa”, infelizmente, já se tornou comum nos Estados Unidos. As pessoas se reúnam para ver se o vírus é real e se alguém é infectado".

A médica Jane Appleby, diretora do Hospital Metodista de San Antonio, no Estado do Texas, onde o homem foi internado, relatou o caso em um depoimento em vídeo. Segundo Appleby, o paciente, que morreu na semana passada, revelou aos enfermeiros que pensava que a covid-19 era "uma farsa".

"Este é apenas um exemplo de uma morte potencialmente evitável de um jovem membro de nossa comunidade. Nem posso imaginar a perda para a família", afirmou Appleby.

A médica não deu detalhes sobre a identidade do paciente, nem mencionou quando a festa teria ocorrido ou quanto tempo ele permaneceu internado antes de morrer.

Segundo Appleby, o hospital tem atualmente vários pacientes na faixa dos 20 aos 30 anos de idade em estado grave.

"Alguns desses jovens vêm ao hospital em busca de tratamento e (logo) podem receber alta, mas outros ficam (gravemente) doentes muito rapidamente e necessitam de tratamento intensivo", observa.

Acredita-se que estes jovens organizem as chamadas “festas da covid” com objetivo de entrar logo em contato com o vírus para ganhar imunidade. No entanto, nem todos se livram facilmente da doença e os que conseguem sobreviver ao vírus não têm a imunidade garantida. 

Especialistas em saúde ressaltam que não há evidências concretas de que uma pessoa infectada com covid-19 fique imune ao vírus e alertam para os riscos de contrair a doença, que é potencialmente fatal mesmo em pacientes jovens.

Os Estados Unidos são o país com o maior número de casos e de mortes de covid-19 no mundo, com mais de 3,4 milhões de casos confirmados e mais de 137 mil mortos.