Ex-secretário de saúde promete entregar provas contra Wilson Witzel
O ex-secretário Estadual de Saúde do Rio de Janeiro Edmar Santos acertou uma delação que envolve o governador Wilson Witzel em casos de corrupção na Saúde.
O acordo foi feito com a Procuradoria-Geral da República, mas ainda não foi homologado.

Pelas redes sociais, o governador disse que “jamais se desviou do caminho da lei e que ninguém pode ser acusado sem provas”.

Nesta quarta-feira (15), o governo divulgou uma nota onde cita que, desde que surgiram as primeiras denúncias de possíveis irregularidades nas compras emergenciais e contratos firmados pela SES, Witzel "determinou a imediata quebra de sigilo desses documentos e abriu sindicância para apurar o autor do pedido de sigilo".

"Witzel reitera também que, nesse sentido, sua administração foi pioneira ao adotar, no Rio de Janeiro, o SEI (Sistema Eletrônico de Informações), onde são lançados todos os contratos e pagamentos do governo do Estado do Rio de Janeiro. Witzel tem ainda a convicção de que o papel da imprensa é mesmo o de fiscalizar e acompanhar tudo o que está sendo feito com recursos públicos", diz a nota.

Edmar Santos foi preso na sexta-feira (10) na operação Mercadores do Caos, do Ministério Público do Rio de Janeiro, que apreendeu R$ 8,5 milhões. A origem do dinheiro ainda não foi revelada pelo MPRJ.

O Tribunal de Justiça do Rio negou o pedido de habeas corpus para o ex-secretário, feito pelos seus advogados de defesa. A decisão foi assinada pelo juiz Sergio Seabra Varella, que estava responsável pelo plantão judiciário, no último domingo (12).