Líder de adoração comenta vídeo de pregação em que cita música de Taylor Swift O vídeo da pregação da líder de adoração Raquel Kerr Borin durante um congresso do ministério Diante do Trono deu o que falar nesta semana. Tudo porque em sua pregação Raquel cita como inspiração a música “Shake It Off”, sucesso de Taylor Swift, do álbum “1989”.

Na gravação, Raquel aparece cantando um trecho da letra. "E a última coisa que eu ouvi do espírito foi aquela música da Taylor Swift: 'haters gonna hate, hate, hate, hate, hate', né? 'I'm just gonna shake, shake, shake... Shake it off, Shake it off'", disse ela.

"O encorajador canta uma música do mundo... no meio do culto! É de verdade, sabe por que? Porque ele encontra uma conexão! Ele fala assim… Nossa, mas essa música serve para uma lição, certo? Essa música diz, 'os que odeiam vão continuar odiando', e que você vai poder se libertar da crítica alheia, porque ela não pode encostar em você. 'You can shake it off, shake it off'. Se você sente que críticas vieram sobre você e abateram seu coração, eu quero que você chacoalhe seus ombros, que fale 'shake it off'. Em nome de Jesus, pode sair todo julgamento, toda poeira, toda crítica, pode sair!", continuou.

E no vídeo é possível ver que a letra de Taylor Swift agradou aos fiéis, que aparecem chacoalhando os ombros juntos com o discurso.

Pelas redes sociais, Raquel comentou toda a repercussão do vídeo.

“Gente, eu tô aqui pensando… Quantas mensagens eu estou recebendo, comentários absurdos sobre aquele congresso do DT! Só pra dar um contexto, o Gustavo Bessa tinha acabado de pregar uma mensagem encorajadora para abençoar as pessoas que se colocam debaixo de crítica. E eu tô aqui sendo testada, tipo assim, ‘I’m just Shake it Off’“, comentou ela, voltando a citar a música de Taylor Swift.

“Uma coisa que eu sou interessante é que o encorajador, por dom redentivo, tem como necessidade conectar com coisas na cultura. E só para vocês saberem, esse não é meu dom, eu sou misericordiosa e profeta, eu sou super radical. Já ajudei muitas pessoas a deixarem de ouvir música de rádio (secular). Já passei mais de 10 anos sem ouvir nem uma música secular. Nem uma por uma regra, um legalismo, mas Jesus me pediu“, completou ela, citando termos da Igreja Batista de Lagoinha.