Ministério Público encontra grande quantidade em dinheiro  na casa de ex-secretário de Saúde do RJ

Enquanto o Rio de Janeiro chegava nesta sexta-feira (10) à marca de 11.280 vítimas de covid-19 e 129.443 casos confirmadas da doença, a operação do Ministério Público Estadual encontrava uma grande quantidade em dinheiro na casa do ex-secretário estadual de Saúde, Edmar Santos. Os agentes acharam o valor em um imóvel de Edmar na cidade de Itaipava, na região Serrana. O total ainda não havia sido contabilizado até o fim da noite desta sexta-feira.



O ex-secretário é investigado por suspeitas de irregularidades nos contratos de Saúde do Rio durante a pandemia de Covid-19, e deverá responder por peculato – corrupção cometida por funcionário público – e organização criminosa, segundo o MPRJ.

Santos foi preso em casa na manhã desta sexta-feira, em Botafogo, na Zona Sul do Rio. Após ser levado à Cidade da Polícia e, em seguida, ao Instituto Médico Legal, o ex-secretário foi conduzido à Unidade Prisional da PM, em Niterói, Região Metropolitana do Rio.

Os promotores apresentaram provas de que o próprio ex-secretário fazia o contato com empresas interessadas em negociar com a secretaria. Em certas ocasiões, segundo o MPRJ, Santos realizava prévia indicação daqueles que seriam contratados em processos administrativos que estavam por vir.

As negociações escusas podem ter representado a morte indireta de centenas de pessoas, vítimas da Covid-19 e da corrupção. Dos 1 mil respiradores comprados pela Secretaria Estadual de Saúde, apenas 52 foram entregues e não serviam para pacientes com Covid-19. Os contratos foram firmados com três empresas, também investigadas.

Outros 97 aparelhos chegaram no fim de junho e estão no terminal de cargas do Aeroporto Internacional Tom Jobim, encalhados.