Vídeo de Desde abril, mais de 90 mil pessoas compartilharam no Facebook um vídeo em que um suposto “demônio” aparece escalando a torre de uma igreja na Itália. A imagem causou grande polêmica e gerou várias “teorias da conspiração” relacionando o tal vídeo à pandemia do novo coronavírus. No entanto, agora descobriu-se que as imagens foram produzidas com efeitos de computação gráfica.

No site JJPD Productions é possível conferir que a produção audiovisual foi feita pelos irmãos Joaquin e Jimmy Perez, que se apresentam como criadores de vídeos com efeitos especiais, vídeos de encontros paranormais e curta-metragens de ficção, entre outros”.

O clipe que viralizou em plena pandemia, na verdade foi produzido em junho do ano passado e mostra uma igreja da cidade de Granada, na Nicarágua, e não na Itália.

Os vídeo-makers criaram o personagem demoníaco com efeitos de animação 3D. Os vídeos foram checados por agências de notícias como AFP, AltNews e Estadão.

PROTEJA-SE CONTRA FAKE NEWS
Foi lançado nesta terça-feira (7), na abertura da sessão deliberativa, o Senado Verifica: Fato ou Fake?, um serviço de checagem de informações relativas ao Senado para combater notícias falsas. O projeto é desenvolvido pela Secretaria de Comunicação Social (Secom), em parceria com a Ouvidoria do Senado.

Para o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, o serviço é um "avanço tecnológico que auxiliará no combate as fake news, que agride cada cidadão brasileiro, todos os dias e todo o tempo nas redes sociais, porque quanto maior a presença de informação oficial e verificada nas redes sociais, maior a capacidade de enfrentamento às notícias falsas, que tanto prejudicam a democracia". Davi ressaltou que a ferramenta foi desenvolvida pela própria equipe de comunicação do Senado, sem gastos adicionais para os cofres públicos.

O cidadão poderá solicitar a apuração de notícias consideradas falsas, incorretas ou que tenham a intenção de enganar as pessoas e que sejam compartilhadas nas plataformas de redes sociais ou pelo WhatsApp.

Podem ser enviados textos, links, fotos, imagens de tela capturada ou vídeos para verificação, por formulário e pelo email: senadoverifica@senado.leg.br.

O Senado terá 30 dias pra checar e enviar a resposta, de acordo com a política de uso do serviço. Serão checadas informações e conteúdos relacionados a proposições, atividades legislativas e administração da Casa. O material checado pela Secretaria de Comunicação do Senado (Secom) receberá uma de três classificações: Fake, Fato ou Impreciso.

As checagens serão publicadas na página do serviço no portal do Senado, que também disponibilizará orientação sobre combate a “fake news” e acesso a conteúdos sobre o Senado.