MEC dará internet gratuita a alunos de baixa renda O Ministério da Educação começa a preparar a volta às aulas em universidades e institutos federais, o IFs.

Nesta quarta-feira (1), o MEC anunciou internet gratuita para os estudantes de baixa renda das instituições federais de ensino superior e técnico. Também divulgou o Protocolo de Biossegurança para o retorno presencial às aulas.

Inicialmente, a recomendação é que as atividades aconteçam de forma remota. O MEC não define a data para a volta às aulas. Durante coletiva em Brasília, o secretário de Educação Superior, Wagner Vilas Boas, afirmou que o documento é uma orientação.

Para o retorno presencial, as orientações giram em torno de evitar a disseminação do coronavírus. São parecidas com a já adotadas na reabertura de estabelecimentos comerciais, como a aferição da temperatura, uso de máscaras e distanciamento de pelo menos um metro e meio entre as carteiras.

No caso de estudantes de grupo de risco, a instituição deve considerar a adoção de estratégias para reposição das atividades pós-pandemia.

O trabalho remoto para servidores do grupo de risco deve ser considerado. O documento não prevê testagem de funcionários e alunos no protocolo.

Por um período, institutos federais e universidades vão ter que alternar ensino presencial e a distância.

Para garantir a conectividade a estudantes de baixa renda o MEC anunciou vai oferecer acesso à internet gratuita para os alunos das instituições federais. Os alunos serão classificados a partir da renda familiar. A previsão do ministério é que o serviço seja oferecido inicialmente para 400 mil pessoas.

O secretário-executivo do MEC, Antonio Paulo Vogel, explica que não é internet livre para o aluno usar como quiser. Universidades e institutos federais indicarão os sites e sistemas que devem ser liberados.

A RNP, Rede Nacional de Ensino e Pesquisa, será responsável pela implantação do sistema de acesso. Segundo Nelson Simões, diretor-geral da RNP, a expectativa é licitar dia 15 de julho e disponibilizar o acesso no início de agosto.

Perguntado sobre como atender alunos de áreas rurais sem acesso a sinal de telefonia, o diretor-geral da RNP disse não ter resposta, mas sinalizou algumas possibilidades.

Atualmente a rede federal de ensino é formada por 69 universidades federais e 41 institutos federais de ensino técnico.