Publicidade

Polícia espera que justiça libere incursões em comunidades para que autores de chacina sejam presos Uma festa junina em Anchieta, na zona norte do Rio de Janeiro, terminou com cinco mortos na madrugada de domingo (28). Entre os mortos está uma criança de 10 anos. Segundo a Polícia Civil, ao todo 12 pessoas foram baleadas.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, quatro pessoas já chegaram mortas na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Ricardo de Albuquerque. Um homem de 22 anos que havia sido transferido para o Hospital Estadual Getúlio Vargas morreu na manhã de domingo.

A Delegacia de Homicídios da Capital instaurou inquérito para apurar as circunstâncias do crime.

A Polícia Civil disse que a disputa pelo controle da venda de drogas na região de Anchieta pode ter motivado a chacina. Quatro homens chegaram à festa, perto da Comunidade Ás de Ouro, e desceram atirando. A polícia disse que os bandidos estão sendo identificados e serão responsabilizados criminalmente.

Ainda em nota, a polícia destacou que a prisão dos envolvidos vai demandar um “forte aparato operacional, com blindados e helicópteros”; mas que operações desse tipo estão proibidas por ordem judicial e que “a Secretaria Estadual de Polícia Civil espera que essas decisões restritivas sejam revertidas o quanto antes para o retorno das atividades policiais na sua plenitude”.