Estudo revela que coronavírus circulava na Espanha 1 ano antes da pandemia Estudos semanais de amostras obtidas de duas estações de tratamento de água levaram a Universidade de Barcelona a identificar a presença do novo coronavírus em resíduos coletados na cidade em 12 de março de 2019, o que significa que o SARS-COV-2 já estava em circulação um ano antes da declaração de pandemia mundial, em 11 de março de 2020.

Os especialistas creem que há grandes quantidades de genoma de coronavírus nas fezes. “Os níveis do genoma do SARS-CoV-2 coincidiram claramente com a evolução dos casos de Covid-19 na população”, explicou o coordenador do trabalho, Albert Bosch.

No entanto, ter identificado a presença do vírus antes dos casos demonstra, segundo os pesquisadores, que muitos infectados podem ter sido confundidos com doentes de gripe. “Identificar a propagação do SArS-CoV-2 com um mês de antecedência teria permitido uma resposta melhor à pandemia”, declarou Bosch.

O governo espanhol declarou estado de emergência em 14 de março e aprovou medidas severas para restringir a movimentação da população e as atividades sociais e econômicas para conter o contágio. De acordo com o Ministério da Saúde local, na quinta-feira, 25, foram reportados três óbitos e 157 novos casos de Covid-19. Ao todo, a Espanha já registrou 28.330 mortes e 247.486 casos.