Iranianos se voltam para Jesus Enquanto é cada vez mais tenso o clima entre Estados Unidos e Irã, com ameaças e ações de ambos os lados, é surpreendente a informação de que a igreja que mais cresce no mundo está no Irã. No entanto, essa é a avaliação daqueles que viram e ouviram a notável história de milhares de pessoas que têm se afastado do islamismo xiita e se voltando para Jesus Cristo.

A imagem que o Irã apresenta ao mundo é uma grande manifestação com gritos de "Morte à América" e "Morte a Israel". Aqueles que viram o Irã por dentro, no entanto, pintam um quadro muito diferente.

Um funcionário da igreja iraniana falou à CBN News, sob condição de anonimato, que há dois Irans. Aquele que você vê nas notícias e o outro escondido do mundo.

“Você não pode acreditar nas imagens da TV. Porque, por exemplo, todos os protestos que você vê nas ruas são em grande parte inventados. Os participantes são jovens que vão às ruas em troca de suas notas nas escolas e universidades. Eles são forçados a protestar”, disse.

"Eu diria que há 10% do Irã e 90% do Irã. Dez por cento controlam o país de maneira mais opressiva, dura, religiosa e depois a maioria das pessoas, 90% das pessoas, amam a América. Eles não odeiam americanos. Acho que essa é a mensagem que os americanos precisam ouvir. Eles nos dizem o tempo todo, nós não odiamos americanos, amamos a América. ”

Ele quer que os americanos saibam que quarenta anos depois da revolução islâmica do Irã, há outra revolução espiritual em andamento.

“Desperte para a verdade de que vivemos em um tempo muito especial. Mais pessoas passaram a acreditar no Irã dos 40 anos do que nos 1400 anos anteriores. Então, há uma vez, não apenas na vida, mas na história, onde temos um momento em que os iranianos estão chegando à fé em um ritmo muito rápido ”.

A “Frontiers Alliance International” (FAI) está produzindo um documentário para apresentar a igreja iraniana aos cristãos em todo o mundo.

"O que está acontecendo no Irã agora é espetacular", diz o fundador e diretor da FAI, Dalton Thomas. “É a igreja que mais cresce no mundo que não possui edifícios, que não possui propriedade, que não tem contas bancárias; que não tem liderança centralizada; que não tem inclinação denominacional e ainda está se multiplicando absurdamente. O que o Senhor está fazendo lá é impressionante. ”

O evangelismo resulta em intensa perseguição que Thomas diz que leva os crentes iranianos a buscar a oração, mas não de uma maneira que você possa pensar.

“Normalmente, a maneira que oramos é que esperamos que eles queiram que oremos para que a perseguição termine. Mas eles pedem para que não façamos isso. A perseguição está fazendo a igreja crescer. Quando a perseguição para, o crescimento para. O que queremos é que o Evangelho se espalhe por toda parte no Irã. ”

Com o Irã e os EUA à beira da guerra, Thomas diz que é importante ver o que está acontecendo por trás do véu iraniano.

“Quando muçulmanos do Irã entram em contato com o Homem de Nazaré, algo bonito acontece. E quando eles percebem que foram comprados e salvos e comprados com sangue judeu; profetizado pelos profetas judeus em uma Bíblia judaica, algo louco acontece; algo bonito acontece e é isso que estamos vendo acontecer no Irã. ”

Thomas acredita que um dia o mundo pode despertar para o crescimento da igreja no Irã no século 21, rivalizando com o da China e da Coreia no século passado.