Publicidade

Universal do Reino de Deus acusa ex-pastores de invasão a templos em Angola

A Igreja Universal do Reino de Deus emitiu um comunicado em que revela a invasão de um grupo de ex-pastores da Igreja Universal do Reino de Deus de Angola a diversos templos da instituição naquele país africano.

Segundo o departamento de comunicação da instituição, “a ação foi orquestrada e violenta, e pastores, esposas de pastores e funcionários foram agredidos. Alguns ficaram feridos e precisaram receber atendimento médico. Mas todos passam bem”.

O comunicado da Universal divulgado aqui no Brasil diz ainda que “para confundir a sociedade angolana, os invasores espalharam mentiras absurdas, como, por exemplo, uma acusação de “racismo”. A verdade é que esses dissidentes têm promovido ataques xenófobos — esses sim, racistas — contra a Universal e seu corpo eclesiástico. Xenofobia é o sentimento de ódio contra estrangeiros”.

A Universal diz que em Angola, dos 512 pastores, 419 são angolanos, 24 são moçambicanos e quatro vieram de São Tomé e Príncipe. Ou seja, 87% são africanos.

“Outra mentira espalhada por esse grupo é a suposta obrigatoriedade de pastores serem submetidos a cirurgia de vasectomia. Trata-se de fake news facilmente desmentida pelo fato de que muitos bispos e pastores da Universal, em todos os níveis de hierarquia da Igreja, terem filhos. O que a Instituição estimula é o planejamento familiar, debatido de forma responsável por cada casal”, diz a igreja.

“Respeitada a unidade de doutrina da Fé que une a Igreja Universal do Reino de Deus em todos os 127 países onde está presente, nos cinco continentes, a Universal de cada nação dispõe de total autonomia administrativa para encaminhar e resolver suas questões locais, sempre observando as leis e as tradições”, esclarece.

A Igreja Universal espera que as autoridades angolanas restabeleçam, com urgência, a ordem legal e possam assegurar que a igreja retome suas atividades em Angola. A Universal está há 28 anos no país.

COMUNICADO DA IGREJA UNIVERSAL DO REINO DE DEUS DE ANGOLA

A Igreja Universal do Reino Deus está presente em Angola, oficialmente reconhecida desde 17 de Julho de 1992, tem atualmente 512 pastores dos quais 419 Angolanos, 65 Brasileiros, 24 Moçambicanos e 4 São-tomenses.

A Igreja Universal sempre se pautou pelo amor ao próximo, moralidade, civismo e respeito as autoridades constituídas.

Hoje a Igreja viu-se invadida em Luanda, Benguela, Huambo e Malange por um grupo de ex-pastores desvinculados da Instituição por práticas e desvio de condutas morais e em alguns casos criminosas contrárias aos princípios cristãos exigidos de um ministro de culto, os mesmos tomados por um sentimento de ódio utilizaram de ataques xenófobos, agrediram e feriram pastores, esposas de pastores e funcionários, usando a violência com objectivo de tomar de assalto a igreja com propósitos escusos.

Atitude essa completamente contraria aos preceitos cristãos.

Por isso, apelamos as autoridades competentes que corrijam as práticas aqui mencionadas definitivamente, pois estão prejudicando milhares de famílias que encontram o conforto e socorro através da fé cristã. Aguardamos com maior brevidade a resposta definitiva repondo a legalidade e impedindo as práticas criminosas.