Publicidade

Saiba como deve ser atendimento nos salões do Rio autorizados a reabrir

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, anunciou nesta segunda-feira (22) a autorização para funcionamento de salões de beleza, mas somente em shoppings. A medida entra em vigor imediatamente. Diante da redução de internações em enfermarias e UTIs nos hospitais públicos e particulares de pacientes com covid-19, a cidade dá mais um passo no retorno gradual e responsável às suas atividades econômicas.



Por enquanto, estão autorizados apenas os serviços de cabelos e unhas (ainda não estão autorizados serviços de depilação e sobrancelhas).



Há regras rigorosas para a reabertura dos salões em shoppings. O serviço de recepção está proibido, e o atendimento tem que ser feito exclusivamente com agendamento prévio. A quantidade máxima de clientes não pode ultrapassar 50% da capacidade total. Os salões precisam atender a uma série de exigências sanitárias e de higiene para que não haja aglomeração ou risco de contágio do novo coronavírus.



– Os shoppings estão sendo um exemplo para nós, estão seguindo rigorosamente as regras. Ninguém entra sem medir temperatura e sem desinfectar as mãos com álcool em gel, e a lotação tem sido de um terço. Sentimos que é preciso fazer um teste para as regras rigorosas impostas aos salões de beleza, e nada melhor do que os shoppings para testar. Nossos fiscais da vigilância sanitária estarão olhando, e daqui a sete dias poderemos abrir os salões em todos os outros lugares também – afirmou Crivella.



Turnos de trabalho e outras medidas contra aglomeração



Os salões de rua ainda não estão autorizados a abrir, mas a expectativa é de que todo o setor esteja liberado ao funcionamento a partir da Fase 3 da abertura econômica, que tem previsão de início no dia 01/07.



– A autorização para o funcionamento dos salões em shoppings é uma estratégia operacional de fiscalização, principalmente. É como se fosse um projeto-piloto para a gente verificar o cumprimento na prática dessas medidas e assim termos tempo hábil de fazer os ajustes necessários para a abertura de todo o setor, que será na Fase 3 – explicou Márcia Rolim, subsecretária de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses.



Márcia Rolim disse que, nos salões autorizados, deverão ser organizados turnos de trabalho, alternando dias e horário de comparecimento dos funcionários para evitar o maior fluxo de pessoas nos transportes e a aglomeração no local de trabalho. Também não será permitido oferecer quaisquer serviços de alimentação para os clientes inclusive café e água.



Atendimento múltiplo está proibido



O distanciamento mínimo de dois metros entre os clientes também deverá ser respeitado pelos salões. E o atendimento do mesmo cliente por múltiplos profissionais simultaneamente não é permitido.



Será necessário retirar todo material que pode ser compartilhado ou tocado por diferentes clientes, como jornais, revistas, tapetes e objetos decorativos da recepção, para não se tornarem fontes de contaminação e facilitar a higienização. Máquinas de pagamento com cartão deverão ser cobertas com filme plástico e higienizadas após cada utilização.



Cuidados com circulação de ar e limpeza



Os ambientes devem ser mantidos arejados, com janelas e portas abertas, e a limpeza dos aparelhos de ar-condicionado tem de estar em dia. Também será necessário providenciar máscaras, luvas de borracha, toucas e outros equipamentos de proteção

individual (EPIs) para as equipes de limpeza e demais funcionários, de acordo com a atividade exercida.



Os salões terão de fazer a limpeza de seus espaços a cada três horas, além da limpeza após o expediente. A frequência recomendada é, no mínimo, a cada três horas ou sempre que preciso. A limpeza terminal é mais completa, uma faxina geral antes ou após o encerra- mento das atividades



As medidas compõem as Regras de Ouro são pré-requisitos para a retomada das atividades econômicas na cidade.