Publicidade

Alerj instala comissão que vai analisar impeachment de Wilson Witzel A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro instalou nesta quinta-feira (18) a Comissão de Impeachment que vai analisar se o governador Wilson Witzel cometeu crime de responsabilidade.

Depois de mais de dois meses realizando sessões por videoconferência, dessa vez, os parlamentares se reuniram em sessão presencial, após o plenário passar por desinfecção e limpeza.

A Comissão, composta por 25 deputados de todos os partidos com representação na Casa, será presidida pelo deputado Chico Machado, do PSD, e terá como relator o deputado Rodrigo Bacellar, do Solidariedade. Os dois eram candidatos únicos e foram eleitos por unanimidade.

Chico Machado se comprometeu a conduzir o processo com total isenção em favor do Rio de Janeiro.

Na primeira reunião da Comissão, foi lido o ofício de citação que será enviado ao governador, com a cópia da denúncia. A partir da notificação da denúncia, Wilson Witzel tem um prazo de 10 sessões ordinárias para apresentar sua defesa.

O relator também vai pedir à Procuradoria Geral da República, ao Superior Tribunal de Justiça, à Polícia Federal e ao Ministério Público do Estado a íntegra da investigação sobre desvios na Saúde, revelados nas operações Favorito e Placebo.

Outro ofício será encaminhado à Secretaria de Saúde para acesso a informações do processo administrativo instalado. As informações vão complementar a denúncia, como afirma o relator Rodrigo Bacellar.

Se a denúncia for aceita, com o plenário determinando a continuidade do processo de impeachment, o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, é afastado temporariamente do cargo e será julgado por crime de responsabilidade.


*Agência Brasil