Caso Queiroz: Flávio Bolsonaro diz que a O senador Flávio Bolsonaro afirmou hoje (18), no Twitter, logo após prisão do ex-assessor Fabrício Queiroz, que "a verdade prevalecerá". Flávio disse que encara os acontecimentos com tranquilidade e que a ação tem como objetivo "atacar Bolsonaro".

De acordo com o senador, nunca houve nada contra ele nos 16 anos de vida pública, mas "tudo mudou" depois da eleição de Bolsonaro.

Queiroz foi preso nesta quinta-feira em Atibaia, no interior de São Paulo, e depois trazido para o Rio de Janeiro. Ele é investigado por suposto esquema de "rachadinha" no gabinete de Flávio Bolsonaro na Alerj, na época em que o senador era deputado.

Onde está Queiroz?
O helicóptero que trouxe Fabrício Queiroz de São Paulo chegou ao Rio de Janeiro e pousou no Aeroporto de Jacarepaguá na zona oeste da cidade. De lá, ele seguiu para o Instituto Médico-Legal (IML) para exames e foi levado para o presídio de Benfica, na zona norte do Rio.

As investigações do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) que levaram à prisão do ex-assessor e ex-motorista do então deputado estadual Flávio Bolsonaro começaram em 2018 com a divulgação de um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), que apontou movimentações suspeitas nas contas de parlamentares, assessores e servidores públicos da Alerj, entre eles, Fabrício Queiroz. Essa investigação levou à instauração de 22 procedimentos investigatórios criminais, de acordo com o MP, com o objetivo de esclarecer suposta participação de parlamentares e de servidores nas movimentações de valores.

Esse relatório surgiu durante a Operação Furna da Onça, um desdobramento da Operação Cadeia Velha. As duas resultaram na prisão de parlamentares da Alerj, segundo o MPRJ, por indícios de participação em esquema de propinas ligado à organização criminosa liderada pelo ex-governador do Rio Sérgio Cabral.