Assembleia de Deus promove seminário sobre violência contra a mulher Um estudo da Universidade Mackenzie aponta que 40% das mulheres vítimas de agressão física ou verbal são evangélicas. Diante disso, a Assembleia de Deus de Goiânia, com sede no Setor Pedro Ludovico, promove nesta quarta (26) e quinta-feira (27) um seminário sobre violência contra a mulher. A ideia é capacitar líderes, como pastores e pastoras, para acolher e orientar as vítimas. O evento é gratuito.

A igreja espera receber 300 pessoas no seminário, que tem como nome "A igreja contra a violência doméstica". A iniciativa é do pastor e presidente, Neuton Abreu, que terá um núcleo para receber relatos e acompanhar casos de violência doméstica, além de atuar na prevenção de casos.

"Espero que o seminário tenha uma repercussão positiva e que as pessoas participem, seja no âmbito educacional, como educadores e professores, mas também toda a comunidade e a igreja”, comentou.

A socióloga e pesquisadora Aava Santiago, designada para coordenar o núcleo da igreja, explica que também está entre os objetivos do seminário fazer com que líderes evangélicos encorajem as vítimas a fazerem a denúncia.

Segundo ela, pesquisas de abrangência nacional apontam as dificuldades sofridas por evangélicas vítimas de violência doméstica, por falta de orientação e amparo por parte de suas congregações de fé. Ela cita o estudo da Universidade Mackenzie.

"Muitas vezes essas mulheres não denunciam por medo de represálias na comunidade eclesiástica ou por orientações equivocadas de que uma evangélica não deve denunciar um marido violento", diz.

Ela afirma que o evento é inédito e que valores como justiça, respeito e amor ao próximo "são pilares da vida de um cristão". Durante o seminário, serão abordados aspectos teológicos e sociais das vivências das mulheres que podem resultar em situações violentas.