Publicidade

Rio terá abertura de centros comerciais populares e volta do futebol na 2ª fase da flexibilização

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, anunciou nesta terça-feira (16) o início da segunda fase de flexibilização das atividades econômicas, com a abertura de centros comerciais populares, como o Mercadão de Madureira, que servirá de exemplo para outros espaços. O anúncio foi feito durante entrega de 79 novos equipamentos para o Hospital Municipal Pedro II, em Santa Cruz, entre eles 21 ventiladores mecânicos.

- Os centros comerciais que seguirem as Regras de Ouro, com todos os parâmetros de controle, poderão reabrir. O Mercadão de Madureira servirá de exemplo para os demais. Haverá controle de entrada e distanciamento, verificação de temperatura e horários especificados. Os que puderem fazer semelhante, poderão abrir. Mas tudo com prudência, sem euforia, para não retrocedermos – afirmou o prefeito, lembrando que a Prefeitura, baseada em índices como números de óbitos, quantidade de leitos e atendimentos, vai autorizando as reaberturas de determinados espaços de acordo com as fases estabelecidas pela Vigilância Sanitária.

 



COMO FICA O FUTEBOL?

Crivella também comentou sobre jogos de futebol:

-Sem público e seguindo regras, podem ser retomados os jogos de futebol. Mas Botafogo e Fluminense não querem, e é um direito deles. Para esclarecer e mostrar os cuidados da Prefeitura, nesta quarta-feira (17), às 10h, no Palácio da Cidade, haverá uma reunião com os clubes de futebol – adiantou o prefeito.

LOJAS DE RUA PERMANECEM FECHADAS

A abertura de lojas de rua, em locais como a Saara, só poderá acontecer na terceira fase, programada para ter início no dia 02 de julho. Quem descumprir as regras e abrir antes da autorização poderá ser multado em até R$ 50 mil.

O prefeito disse que a fiscalização estava nesta terça-feira na Saara, onde alguns comerciantes desrespeitaram as orientações, abriram seus estabelecimentos e serão multados. Crivella alertou que, após 70 dias, não vale a pena que alguns reabram fora do prazo e a pandemia recrudesça, obrigando a fechar novamente atividades já reabertas.

ACADEMIAS ESTÃO SOB FOCO

O retorno de atividades nas academias de ginástica também ficará para a próxima etapa, podendo ser antecipado caso haja melhoras na curva de contágio, diminuição do número de óbitos e aumento da quantidade de leitos livres, sempre com controle de acesso e distanciamento.

- Nossas avaliações nos mostram se devemos prorrogar os prazos entre as fases ou se podemos antecipar. Se tudo continuar bem e todos permanecerem colaborando, podemos antecipar algumas atividades em menos alguns dias. Mas tudo apoiado e avaliado pelo nosso comitê científico. Há avaliações de que, em vez de 15 dias, algumas atividades da terceira fase possam a reabrir em dez, como as academias. Mas isso não é garantido e dependerá de análise cuidadosa - disse Crivella.

Novos aparelhos para o Hospital Pedro II

Os aparelhos entregues no Hospital Municipal Pedro II fazem parte da renovação dos parques tecnológicos das unidades de saúde da Prefeitura do Rio e foram comprados no fim do ano passado, ação que envolveu uma licitação internacional. O total investido é de R$ 370 milhões. Com a entrega, a unidade, referência na região, qualifica a assistência aos pacientes, entre eles os que apresentam sintomas ou testaram positivo para a Covid-19.

- Esses equipamentos são o que há de melhor no mercado. Se você for ao Hospital John Hopkins, em Baltimore, nos Estados Unidos, vai encontrar aparelhos desse nível. Hoje temos leitos sobrando no Hospital de Campanha da Prefeitura, no Riocentro, e estamos ajudando outros municípios da Região Metropolitana, abrindo 180 leitos nessas cidades, e o próprio governo do Estado – disse o prefeito.

Tomógrafo novo e mais respiradores

Entre os equipamentos que o Hospital Pedro II recebeu está um tomógrafo de 128 canais, de alta definição. É o segundo aparelho entregue ao hospital pelo prefeito Marcelo Crivella que, quando assumiu a gestão, encontrou o equipamento de tomografia do Pedro II quebrado. Este é o 13º tomógrafo entregue como parte da estratégia de combate à pandemia.

A unidade também receberá dois aparelhos de ultrassom com doppler coloridos, 12 ECG de repouso com três canais, três focos cirúrgicos de led de teto, 10 focos cirúrgicos de led auxiliares, seis aparelhos de anestesia, três mesas cirúrgicas, 21 respiradores e 21 monitores.

Investimento antes do coronavírus

Nos últimos três anos, foi feito um grande investimento na renovação do parque tecnológico das unidades de saúde da rede municipal. Foram comprados mais de 18 mil itens, entre eles os 27 tomógrafos. Além dos tomógrafos, a Prefeitura do Rio adquiriu 162 aparelhos de raio-X e 726 respiradores (505 já chegaram).