Pesquisadores dizem ter encontrado primeiro remédio capaz de reduzir mortes por coronavírus Uma medicação em potencial na luta contra o novo coronavírus mostrou bons resultados no Reino Unido. Trata-se da dexametasona, um anti-inflamatório que também é utilizado por alpinistas no combate aos efeitos da falta de oxigênio em altas altitudes.

Segundo pesquisadores britânicos, trata-se da primeira droga que, comprovadamente, reduz a incidência de mortes pela covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. De acordo com cientistas da Universidade de Oxford, em resultados apresentados hoje (16), houve redução de um terço das mortes em pacientes que precisavam de tratamento com oxigênio e receberam o corticoide dexametasona. A droga é de baixo custo, e o Ministério da Saúde do Reino Unido confirmou que vai inclui-lo no tratamento da covid-19 - a OMS (Organização Mundial da Saúde) ainda não se pronunciou.

Os pesquisadores disseram que um estudo que será publicado nos próximos dias mostra os resultados para 2.104 pacientes selecionados aleatoriamente, que foram medicados com a dexametasona, por via oral ou intravenosa. Eles foram comparados a 4.321 pacientes tratados convencionalmente.

Os números mostram que a redução de mortes foi de 35% para pacientes que precisavam de tratamento com respiradores e 20% para os que precisavam de suporte de oxigênio. Não houve registro de que a droga seja eficiente em casos menos severos.

Os pesquisadores estimam que o uso pode prevenir uma em cada oito mortes de pacientes que estão em respiradores e um em cada 25 pacientes recebendo auxílio com oxigênio.