Nickelodeon assume mensagem LGBT de Bob Esponja

Engana-se quem acha que desenho animado é só um meio de entreter crianças. Nesta pandemia, por exemplo, muitos pais se pegaram em home office ao mesmo tempo que têm que educar os filhos, o tempo todo em casa devido à suspensão das aulas. Muitos acabam entregando nas mãos dos filhos o controle da TV ou o smartphone para que eles se mantenham entretidos. Fazendo isso é preciso estar consciente de que seu filho receberá uma enxurrada de mensagens que talvez você considere que não seja a melhor para sua faixa etária.



Quem imaginou, por exemplo, que o desenho Bob Esponja fosse um personagem LGBT? Muito cedo para falar sobre ideologia de gênero com o público infantil? Você pode achar, mas a emissora de TV original do Bob Esponja, a Nickelodeon, pensa que não. 



Em um post no Twitter para celebrar o Mês do Orgulho LGBT, o canal publicou três fotos de alguns de seus personagens coloridos, com a frase: "Celebrando o orgulho com a comunidade LGBTQ+ e seus aliados neste mês e em todos os meses".



As imagens que acompanham o post são de Korra, de "A Lenda de Korra", que encerrou sua trama em 2014 ao lado de outra mulher; de Schwoz Schwartz, de "Henry Danger", interpretado pelo ator trans Michael Cohen; e, claro, de Bob Esponja, que aparece sob um filtro nas cores da bandeira LGBT.



Há muitos anos se especula sobre a sexualidade do animal marinho, com muitos fãs do desenho dizendo, inclusive, que ele e seu melhor amigo, a estrela do mar Patrick, na verdade seriam um casal.



Em um episódio de 2002, eles adotam uma concha e agem como os pais dela. Alguns personagens secundários daquele capítulo chegam a questionar como a união entre uma esponja e uma estrela do mar poderia resultar em uma concha.



O animador americano Stephen Hillenburg, criador de "Bob Esponja Calça Quadrada", havia dito no passado que o protagonista da série é assexuado.



"Nós nunca tivos intensão de que eles (Bob Esponja e Patrick) fossem gays. Eu considero eles como sendo quase assexuados. Nós estamos apenas tentando ser divertidos", disse ele em 2005 à revista People.