Regis Danese e o que realmente importa “Dinheiro Não é Tudo”. O clipe deste novo sucesso de Regis Danese já passou de 1 milhão de visualizações no YouTube. A música exalta a soberania de Deus sobre todas as coisas. Na mesma linha, o cantor emplacou a música “Eu Decido Adorar”. Família, amigos, Deus! Isso é o que realmente importa para esse grande nome da música evangélica.

“Essa alegria falsa que o mundo oferece é momentânea. A alegria que Jesus tem para as nossas vidas dura para sempre. Por mais que enfrentamos crises, lutas, em todas elas o Senhor nos dá a vitória. E tem gente que prega o Evangelho super herói, esquecem-se que o próprio Senhor Jesus disse que no mundo a gente teria aflições. Mas Ele venceu por nós”, comenta o cantor.

Em participação no programa Tribo Melodia, Regis Danese contou ao locutor Renato Bruno sobre a inspiração para as duas canções.

“Engraçado que a gente estava preparando o repertório e falando de dinheiro, de repente eu estou lá na minha casa e o Bruno Alves, compositor, mandou a música “Eu Decido Adorar” que fala: “A crise está grande, mas vou adorar...". Eu não sei o que Deus quer usar com isso, mas talvez seja a questão do momento. Muitas pessoas comentam nas redes sociais ou me procuram chorando para dizer que essa música veio na hora certa”, disse Danese.

Regis Danese já vendeu mais de 2 milhões de cópias com o álbum “Compromisso”. Este trabalho levou o cantor à indicação ao Grammy Latino 2009 na categoria “Melhor Álbum Cristão de Língua Portuguesa”. O cantor tem 46 anos de vida, sendo 30 anos de carreira, dos quais 17 voltados para trabalhos exclusivamente evangélicos.

Trata-se de um artista respeitado em todos os segmentos da música brasileira. Frequentemente, Regis Danese se apresenta ao lado de cantores seculares. Este ano, ele apareceu no programa “Encontro, apresentado por Fátima Bernardes, ao lado da funkeira Jojo Todynho. Na ocasião, os dois apresentaram, brevemente, a música “Faz um Milagre em Mim”, que é um dos grandes sucessos do artista gospel.

“Faz um Milagre em Mim foi sucesso no Brasil e no mundo. Tem vários vídeos na internet com o pessoal cantando esta música em outros idiomas. O próprio Deus foi soprando e a música gospel foi entrando onde não tinha entrada. Deus queria que fosse assim”, afirma.

Com agenda sempre cheia, a crise parece que não chegou para Regis Danese que segue adorando e exaltando a Deus. Os muitos compromissos também não são impedimentos para o cantor ser um pai e marido presente.

“Família, graças a Deus é tudo de bom. Está tudo na paz. A família maravilhosa que Deus me presenteou está uma bênção, cada dia melhor. Minha esposa, meu filho e minha filha quase sempre me acompanham nos compromissos”, relata.

E a maioria das músicas cantadas por Regis Danese são escritas por sua esposa, Kelly Danese. Um casamento de 22 anos e que se mostra forte também na música. Régis e Kelly são pais de Bruno, de 20 anos, e de Brenda, de 10. A caçula passou por um momento difícil em 2012 quando teve leucemia, mas no ano seguinte foi completamente curada da doença.

Além da família, Danese também se importa com o próximo. Ele diz que procura sempre valorizar pessoas que o apoiaram no início de sua caminhada e seguem juntas com ele até hoje, como o pastor Vandinho com quem costuma visitar hospitais.

“Ele está sempre viajando comigo. Inclusive a gente vai muito a hospitais. Outro dia uma menina ligou lá no escritório falando que estava com vários tumores. E eu chamei o pastor Vandinho, mas ele estava muito corrido. Então Deus providenciou. Eu nunca gosto de ir orar por uma pessoa enferma sem um pastor junto comigo, porque a Bíblia fala para a gente andar em dois. Então quando eu cheguei lá para orar havia vários pastores, Deus proveu, multiplicou”, comenta.

A equipe de músicos, compositores e produtores musicais tem a plena confiança de Regis, que revela um segredo. Ele nunca ensaiou.

“Eu nunca ensaiei, acredita? Nem para gravar DVD. Eu confio no profissionalismo de cada músico. Por exemplo, ele ouve, tira certinho do jeito que está o disco”, revela.

Danese cuida da produção musical e se diz muito exigente.

“Não chato, mas exigente. Porque eu que faço os arranjos, produção musical, então eu sei cada detalhe, cada notinha do baixo, virada da bateria, que são poucas, não uso muito a virada”, comenta.

O músico prefere o estilo americano, com poucas notas, pouca virada e se diz adepto à simplicidade.

“O brasileiro às vezes quer colocar muita nota onde não tem. E a gente tem que aprender com os americanos, que são os melhores. Eles são professores. Gosto muito da sonoridade dos anos 80, sonoridade pura, limpa”, afirma.

A música gospel agradece pelo profissionalismo de Regis Danese que, associado à unção e vida diante do altar do Senhor, tem elevado a qualidade do segmento ano após ano.