Patroa que deixou criança usar o elevador sozinha é esposa de prefeito Mirtes Renata, mãe do Miguel Otávio Santana da Silva, de 5 anos, cobra explicações à patroa, Sari Gaspar Côrte Real, mulher do prefeito de Tamandaré, em Pernambuco. A criança morreu ao cair do nono andar de um edifício de luxo no Recife após a mãe descer para passear com o cachorro da casa e deixar o menino aos cuidados de Sari.

A primeira-dama foi presa em flagrante por homicídio culposo, mas pagou 20 mil reais de fiança e foi liberada.

"Ela confiava os filhos dela a mim e à minha mãe. No momento em que confiei meu filho a ela, infelizmente ela não teve paciência para cuidar, para tirar (do elevador). Eu sei, eu não nego para ninguém: meu filho era uma criança um pouco teimosa, queria ser dono de si e tudo mais. Mas assim, é criança. Era criança", disse a doméstica no programa Encontro com Fátima Bernardes, da TV Globo.

As autoridades, que atuaram a patroa por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, não revelaram a identidade dela inicialmente, o que foi alvo de crítica da mãe de Miguel. Ela assegura que trabalha para o prefeito de Tamandaré/PE, Sérgio Hacker, e a mulher dele, Sari Corte Real.

"Se fosse eu, meu rosto estaria estampado, como já vi vários casos na televisão. Meu nome estaria estampado e meu rosto estaria em todas as mídias. Mas o dela não pode estar na mídia, não pode ser divulgado. Se fosse eu, a essa hora, já estava lá no Bom Pastor (Colônia Penal Feminina), apanhando das presas por ter sido irresponsável com uma criança".