Publicidade

Vacina promissora contra coronavírus será testada no Brasil A Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) concedeu à companhia farmacêutica AstraZeneca autorização para realizar um estudo clínico no Brasil para testar a vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pela Universidade de Oxford, no Reino Unido. A autorização foi publicada ontem (02) no Diário Oficial da União.

O estudo será randomizado e terá como objetivo determinar a segurança e eficácia da vacina. Os primeiros testes para a vacina foram realizados na Inglaterra e os resultados demonstraram que o perfil de segurança foi aceitável.

A vacina contra a covid-19 em desenvolvimento na Universidade de Oxford entrou na fase três de testes clínicos, em que pelo menos 10 mil pessoas serão vacinadas para averiguar a eficácia do produto.

Os testes no Brasil envolverão 2.000 pessoas e serão realizados com apoio do Ministério da Saúde. Em São Paulo, eles serão conduzidos pelo Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIE) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). A Fundação Lemann vai custear a infraestrutura médica e os equipamentos necessários.

Serão recrutados mil voluntários que estejam na linha de frente do combate à covid-19, uma vez que estão mais expostos à contaminação. Há outros países cuja participação está em processo de análise e aprovação. O registro formal da vacina deve acontecer apenas após a conclusão dos estudos realizados em todos os países participantes.