Justiça mantém proibição de cultos presenciais no Rio

A Segunda Instância da Justiça do Rio de Janeiro manteve a decisão que proibiu a abertura de templos religiosos para cultos presenciais na capital fluminense.

Na decisão desta segunda-feira (1º), a desembargadora Maria Isabel Paes Gonçalves entendeu ser necessária a apresentação pelo município da "análise de impacto regulatório sobre as medidas adotadas em âmbito municipal em relação à pandemia de Covid-19.



A Procuradoria Geral do Município do Rio informou que vai apresentar o laudo técnico-científico solicitado pela desembargadora, e pedir a reconsideração da abertura de igrejas e demais templos religiosos para realização de cultos presenciais na cidade.

Pelas novas regras de flexibilização da Prefeitura do Rio, em vigor a partir desta terça-feira (02), todos os templos religiosos poderiam reabrir desde que seguissem regras de higienização e distanciamento entre os fiéis.

REGRAS




  • Distanciamento de 2 metros.

  • Uso de máscara.

  • Disponibilização de álcool em gel 70%.

  • Entre outras.