Publicidade

Coronavírus começa a perder força, diz médico italiano No início da pandemia do novo coronavírus as notícias que chegavam da Itália traziam grandes incertezas e preocupações. Hoje, a realidade é outra. O médico italiano Alberto Zangrillo, chefe do hospital San Raffaele, em Milão, afirma que o novo coronavírus perdeu potência e ficou menos letal.

Em entrevista à emissora de TV RAI, ele disse que “na verdade, o vírus clinicamente não existe mais na Itália”.

“As amostras que analisamos nos últimos dez dias mostram que a carga viral em termos quantitativos é absolutamente ínfima comparada à que tínhamos um ou dois meses atrás.”

O especialista acredita que alguns cientistas foram alarmistas demais ao propor uma segunda onda de infecções pelo novo coronavírus.

“Voltamos a ser um país normal”, declarou Zangrillo. “Alguém precisa ser responsabilizado por aterrorizar o país.”

O médico Matteo Bassetti, chefe de doenças infecciosas no hospital San Martino, na Itália, também acredita que o novo coronavírus perdeu tração.

“A força que o vírus tinha dois meses atrás não é a mesma que tem hoje”, afirmou Bassetti em entrevista à agência Ansa.

O governo italiano, no entanto, pediu cautela e afirmou que ainda é cedo para comemorar a vitória. “Há evidências científicas pendentes para apoiar a tese de que o vírus desapareceu”, declarou Sandra Zampa, subsecretária do Ministério da Saúde em comunicado.

A expectativa é para que o coronavírus perca força não só na Itália, mas em todo o mundo. Hoje existem em todo o planeta 6.226.409 infectados e 373.883 mortes registradas que tiveram como causa a Covid-19. O número de recuperados é de 2.671.705.