Familiares negam que pastor morto na porta da igreja tivesse desavenças Familiares do pastor Fernando Lúcio Pissara, de 58 anos, morto no domingo (23) na Serra/ES, estiveram no Departamento Médico Legal (DML) de Vitória na manhã desta segunda-feira (24) para liberar o corpo da vítima. 

Em entrevista à TV Vitória / Record TV, os parentes de Fernando disseram que o pastor não tinha desavenças e que não acreditam que brigas tenham motivado o crime.

De acordo com as primeiras informações repassadas pela polícia, o pastor foi atingido por pelo menos três tiros, quando abria igreja, no bairro Cascata, na Serra. Ele chegou a correr, mas acabou caindo e morrendo em frente a própria casa.

Segundo testemunhas, o pastor teria se envolvido numa briga com um desconhecido há cerca de uma semana. A vítima teria dado um tapa no rosto da pessoa que teria prometido vingança.

Sarah Romão Pissara, esposa do pastor, negou a versão divulgada e afirmou que se o marido tivesse alguma desavença com alguém, teria contado aos familiares.

"É mentira essas informações que estão divulgando. Não existe a possibilidade de ele ter discutido com alguém na rua e não ter contado para a gente. Ele era um bom pai, um bom esposo", afirmou a esposa.

Ela também negou que o marido tenha se envolvido em uma confusão ao participar de um jogo de futebol, na tarde de domingo, conforme foi especulado por algumas pessoas. Ela garantiu que Fernando passou a tarde inteira em casa.

O pastor completou 58 anos no dia 31 de maio e deixou três filhos. Segundo a esposa, ele era um homem alegre, querido no bairro, e sempre fazia questão de ficar com a família.

O corpo de Fernando Lúcio Pissara foi liberado por volta das 10h desta segunda-feira. O sepultamento acontece nesta tarde em Serra Sede.

Até o momento, nenhum suspeito foi preso. O caso segue sob investigação pela Divisão de Homicídios da Serra. 



Com informações da TV Vitória / Record TV