Precisamos de Jesus

João 17.15 - não peço que os tire do mundo, e sim que os guarde do mal.



Estes dias são os mais carentes que a história da civilização tem apresentado, isto porque a vida se tornou por consequência superficial. O conteúdo da sociedade se manifesta extremamente baixo. As pessoas no trânsito se agridem e se xingam por banalidades, as crianças na escola se classificam por “tribos” e se violentam mutuamente. As novas tecnologias passaram a ditar o comportamento do indivíduo na sociedade. Os filhos se trancam no quarto, na busca incessante de passar para uma nova fase em seus vídeos games, as meninas viajam nas salas de bate-papo e se permitem sensualizar suas conversas. Nas famílias convencionou-se que as refeições são feitas cada um no seu quarto e na hora que cada um pode. O máximo da reunião não é a mesa e sim em frente à TV.



Este quadro se instalou em nossa sociedade ao longo dos anos, atravessou a fronteira e chegou à igreja, chegou aos nossos casais, as nossas crianças e aos nossos jovens. A igreja não está doente e nem nunca estará, mas parte do universo que a compõe, infelizmente deixou-se levar pela pressão da sociedade, é evidente que as tensões que pressionam a sociedade têm a tendência de pressionar também a igreja. Certamente esta foi uma das razões que levou Jesus a orar da seguinte forma: não peço que os tire do mundo, e sim que os guarde do mal (João 17.15).



A leitura da Palavra é cada vez mais escassa, por isso, tanta fragilidade em nosso meio. Parece que eu ouço um clamor por socorro, um clamor por uma voz que possa soar em meio a tantas outras vozes que a sociedade faz soar. Não que o silêncio esteja imperando, a igreja do Senhor continua viva e vitoriosa, mas me senti desafiado a compartilhar com você este pensamento, me senti desafiado a ser mais um daqueles que se levantam em meio à multidão pra declarar que ainda há solução, que ainda há esperança e que ainda é possível estabelecer a verdade de Deus em nossas vidas.



Com este clamor soando em meus ouvidos, recorri à Palavra de Deus e passei a meditar outra vez nos ensinos de Jesus, nas palavras de Jesus, da calma que Jesus tinha em ensinar e estabelecer o Reino de Deus. O movimento pedagógico que Jesus inaugura mexe com a estrutura religiosa de seu tempo, seus pares ficam estupefatos pela capacidade dele de entender o coração humano e pela noção clara que Jesus possa influenciar seus contemporâneos e conduzi-los ao coração do Pai.



Neste texto que está diante de você, emerge na expectativa de fazer virem à tona as palavras de Jesus para que você possa entender, ainda que de forma sucinta, o que vai no coração de Deus para estes dias. Os ensinamentos de Cristo são a bússola que poderá nos reconduzir, nos trazer de volta ao modelo bíblico. Os ensinamentos de Cristo são absolutamente o refrigério que você está buscando para sua alma, que algumas vezes se permite enfermar e manquejar diante dos desafios da vida. Realmente precisamos de Jesus.


s