Publicidade

Inaugurações de hospitais de campanha no Rio são novamente adiadas A organização social Iabas -- Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde -- adiou mais uma vez as inaugurações dos hospitais de campanha de São Gonçalo e Nova Iguaçu, que estavam previstas para ontem e hoje, respectivamente. Uma nova data só será definida em uma reunião com representantes da Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro, às 16h de hoje (29). Os hospitais disponibilizam leitos para tratar pacientes da covid-19.

O governo do estado chegou a anunciar na quarta-feira (27), que São Gonçalo estaria pronto para receber pacientes ontem (28), mas isso não ocorreu.

Segundo a Iabas, há dificuldades na contratação de médicos e de pessoal técnico para a unidade de São Gonçalo. “O Iabas mantém os esforços pela contratação de médicos e profissionais de saúde, mesmo com a decisão do TCE de suspender os pagamentos à entidade”, diz nota divulgada hoje.

A reunião da tarde de hoje com o governo do estado também tratará do cronograma de inauguração de outras quatro unidades: Duque de Caxias, Nova Friburgo, Campos dos Goytacazes e Casimiro de Abreu. Três hospitais estaduais de campanha já foram abertos: Parque dos Atletas e Lagoa-Barra (em parceria com a Rede D'Or) e Maracanã (administrado pelo Iabas).

O Iabas não tem qualidade técnica comprovada para montar e operar sete hospitais de campanha do governo estadual, num contrato emergencial de mais de R$ 836 milhões, segundo conclusão do Tribunal de Contas do Estado, que determinou a suspensão dos pagamentos à organização social.

O instituto informou que vai prestar esclarecimentos ao tribunal e alegou que, sem os repasses, poderá atrasar ainda mais as obras dos outros hospitais.