Publicidade

Entre obesos no Brasil, Covid-19 matou mais jovens que idosos Jovens obesos morrem mais por Covid-19 do que idosos obesos, de acordo com dados do Ministério da Saúde. "Em todos os grupos de risco da doença, a maioria dos indivíduos tinha 60 anos ou mais, exceto para obesidade”, destaca o boletim epidemiológico do Ministério da Saúde de 26 de abril. Os dados apontam uma taxa de letalidade de jovens obesos de 60% e, em idosos com mais de 60 anos, de 43%.

De acordo com o IBGE, apenas 11% dos homens acima de 60 anos e 25% das mulheres têm obesidade. No entanto, cerca de 20% da população brasileira é obesa, segundo o Ministério da Saúde.

De acordo com estudo publicado pelo CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) do governo dos Estados Unidos, aproximadamente 168 mil mortes por ano no Brasil são atribuídas ao excesso de peso e obesidade.

O estudo também destaca que pessoas com alto IMC (índice de massa corpórea), apresentam risco aumentado para diversas doenças crônicas, como cardiovasculares, diabetes, doenças respiratórias e câncer, e que 25% das mortes no país são por essas causas.

Pessoas obesas infectadas pelo novo coronavírus podem ter mais chances de desenvolver complicações graves da covid-19. Isso ocorre porque o organismo está mais suscetível a inflamações e ao surgimento de outras doenças.

Processo de inflamação explica taxa de mortes
A obesidade lidera os principais grupos de risco junto com idade avançada, hipertensão e diabetes. Segundo dados do Ministério da Saúde, 48,2% das vítimas da covid-19 também tinham obesidade, além de outras doenças.

A pessoa que tem gordura, principalmente na região abdominal, produz citocinas. Isso causa um processo inflamatório crônico que acomete vasos, músculos e estados físicos, por isso esses pacientes são mais propensos a desenvolver doenças, como a covid-19.

Esse processo inflamatório torna o sistema imunológico e as defesas do corpo contra o vírus mais precárias.