Rotina do carioca poderá ser normalizada em 3 meses, prevê Prefeitura do Rio

A prefeitura do Rio de Janeiro planeja o fim da quarentena. A reabertura da atividade econômica na cidade do Rio será feita de forma gradual e deve começar nos próximos 15 dias.

Ontem (28), o prefeito Marcelo Crivella apresentou ao Comitê Científico da prefeitura a proposta dos novos protocolos a serem seguidos, prevendo uma retomada dividida em 6 fases. Os intervalos previstos entre as fases são de 15 dias, podendo ser encurtados ou prolongados de acordo com os indicadores da Covid-19. Caso o cronograma siga sem alterações, a vida dos cariocas voltaria ao normal em 3 meses.



A passagem de uma fase para a outra deverá ser norteada por critérios como número de óbitos e casos confirmados e taxa de leitos ocupados. Se houver retrocesso nos indicadores, nada impede que ocorra também um retrocesso na fase de reabertura.



Situação dos leitos no município



A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, já abriu 944 leitos exclusivos para o tratamento da Covid-19, desde o início da pandemia. Deste total, 221 são leitos de UTI.

Desde o dia 1º de maio, foram abertos 471 novos leitos dedicados à Covid-19. No Hospital de Campanha da Prefeitura, no Riocentro, há 152 pacientes internados. Deste total, 58 estão em UTI. Nos leitos ocupados há rotatividade de vagas por causa de altas e óbitos, além de transferências para leitos de UTI que dão retaguarda às enfermarias de Covid e são usados quando o estado do paciente se agrava.