Publicidade

Pesquisadores israelenses prometem máscara que destrói o coronavírus

Uma máscara autolimpante é capaz de matar o coronavírus por meio de uma corrente elétrica fornecida por um carregador de celular. O dispositivo foi desenvolvido por pesquisadores israelenses, da Faculdade de Ciências e Engenharia de Materiais da Technion.

A máscara possui uma camada interna de fibra de carbono que, ao ser aquecida, destrói patógenos que podem se acumular nela.

Segundo o jornal “The Telegraph”, o grupo de engenheiros já fez um pedido de patente nos EUA, e esperam vender a máscara autolimpante por US$ 1.

Além de combater o novo coronavírus, a máscara pode ajudar a reduzir o impacto ambiental, uma vez que com o uso em massa e o descarte inadequado, os modelos descartáveis, que geralmente levam anos para se degradar, poluem o planeta.



Versão americana

Nos Estados Unidos, um grupo de pesquisadores da Universidade de Kentucky ainda desenvolve um outro modelo de máscara capaz de matar o coronavírus.



Apesar de o equipamento ainda não ter eficácia confirmada, um investimento de cerca de 150 mil dólares está sendo aplicado no projeto.



As máscaras também poderiam mudar de cor ou acenderem quando o vírus fosse detectado.