Publicidade

Filha de pastor e cantora gospel fala sobre música para público LGBT

A mudança de vida de Clara Tannure, filha da cantora Helena Tannure, ex-Diante do Trono, com o pastor João Lúcio Tannure, chamou atenção da mídia secular que considera sua história um verdadeiro “escândalo” no meio gospel. Entrevista do site G1 com a jovem, hoje aos 24 anos, que já participou da versão mirim do Diante do Trono, mostra como Clara trocou o gospel pelo mundo LGBT.



A entrevista fala da música “Chora, boy” que retrata o “empoderamento feminino” e tem até clipe com beijo gay em contraste com a criação que Clara recebeu em casa e na Igreja Batista da Lagoinha.



"Lá em casa sempre foi só música evangélica, desde que me entendo por gente. Meus pais eram bem rígidos de não tocar música 'do mundo'. Sempre louvor. Mas quando eu tinha uns 12 anos, na escola, via as amiguinhas escutando Rouge e fui escondida procurar as músicas", lembra Clara na entrevista ao G1.



Ela entrega que o YouTube ajudou a matar sua curiosidade e mostrar “inspirações”como Kelly Key e Britney Spears. Ao mesmo tempo em que reclama porque era “obrigada” a usar roupas comportadas, a moça parece sentir saudades do tempo em que integrava o grupo Crianças Diante do Trono.



"Fiz DVDs do Crianças Diante do Trono até 16 anos. Tenho um carinho gigantesco por eles. A gente amava ensaiar, cantar. Na escola tiravam foto com a gente, era divertido”, disse.



Clara conta que sua mudança começou quando foi para a faculdade e começou a trabalhar.



"Comecei a pensar que não concordava com tudo o que era dito na igreja, e com o que as pessoas queriam de mim. Preferi me afastar. Não por achar que é um ambiente ruim, mas não concordar”, conta a jovem que hoje mora sozinha e diz ter sua autonomia.



Foi na faculdade também que ela teve o primeiro contato com uma pessoa gay, que se tornou seu grande amigo.



"Eu sempre soube que eu não era heterossexual. Sentia só uma 'vontadinha'. Gostava de homem e mulher. Hoje isso é mais falado, mas ainda a coisa de bissexualidade é mais difícil. As pessoas acham que é porque você é indeciso”, comentou.



Clara relata que sonhava em ser uma cantora pop, mas que não queria magoar sua mãe. Até que um dia tiveram uma conversa franca e Clara recebeu o amor de mãe.



"Ela falou: 'Não vai ofender, eu te amo, mesmo sem concordarmos'. Amor é isso. Não é querer mudar o outro. Uma mãe vai educar, mas uma hora o filho vai decidir. Não é culpa sua, é responsabilidade dele. Todo mundo faz suas próprias escolhas”, contou ao G1.



Ela diz receber muitas mensagens privadas agressivas em seu canal no YouTube, mas o comentário mais curtido do vídeo de sua música diz: "Sou cristão. Sou fã do Diante do Trono. Mas tenho convicção de que agora não é o momento de falar pra Clara o que ela deve ou não fazer. Deus deu livre arbítrio pra todos serem ou fazerem o que quiserem."