Publicidade

André Valadão se revolta com caso de racismo nos EUA Os protestos em Minneapolis, nos Estados Unidos, após a morte de George Floyd, um negro de 40 anos durante uma abordagem policial, se intensificaram. Floyd morreu na noite da última segunda-feira (25) após ser preso por suspeita de tentar usar uma nota falsa de 20 dólares em um supermercado.

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra um policial imobilizando a vítima e em seguida ajoelhado sobre o pescoço de George, que morreu sufocado.

O pastor André Valadão, que mora nos Estados Unidos, lamentou a brutalidade em suas redes sociais.

“Os EUA são de dar nojo em seu nível de racismo. Morando aqui por muitas vezes vejo atitudes terríveis com imigrantes, negros, e agora também com orientais. Difícil colocar em palavras. O que fizeram ontem (25) com #georgefloyd é sem cabimento! Inacreditável! Vi o vídeo completo desta cena e chorei, me revoltei. Um país de distâncias raciais vergonhosas, país este criado através de imigrantes. Igrejas de “brancos” e igrejas de “pretos”, restaurantes de “brancos” e restaurantes de “pretos”, comidas de “brancos” e comidas de “pretos”, grifes, músicas ... de “brancos” ou de “pretos”... Não, os EUA não é feito só de sonhos. Morando aqui eu tenho visto MUITOS PESADELOS! #georgefloyd por sua família”, legendou o pastor uma foto em que o policial está ajoelhado sobre o pescoço de George.