Publicidade

Prefeitura do Rio estabelece regras para abertura de templos religiosos

O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, estabeleceu regras para o funcionamento de igrejas e templos religiosos durante pandemia do novo coronavírus em um decreto municipal publicado nesta segunda-feira (25) no Diário Oficial do Município.

Segundo Crivella, o decreto apenas confirma o que a Prefeitura já vinha informando: “estão todos liberados para funcionar, pois se trata de uma atividade essencial, desde que seguindo as regras de distanciamento social e com uso de máscaras”.

Além disso, a prefeitura recomenda que pessoas idosas e com comorbidades assistam às cerimônias religiosas por meio de internet, rádio ou TV.

Em sua decisão, Crivella citou o decreto que o presidente Jair Bolsonaro editou em março, que incluiu as instituições religiosas entre as atividades essenciais. No decreto, o  prefeito também justificou a medida afirmando que ''as instituições religiosas têm sofrido interferências e embaraços indevidos em seu funcionamento, praticados por ações equivocadas dos agentes públicos'' e que ''cabe à prefeitura a autorização para a expedição de alvarás de templos religiosos''.

Crivella destacou que em nenhum momento determinou o fechamento dos templos. O que havia, segundo ele, era uma recomendação para não haver aglomerações durante missas e cultos.



Ainda na entrevista coletiva, Crivella anunciou que, nesta semana, estarão disponíveis todos os leitos abertos pela prefeitura para o tratamento de pacientes com a Covid-19. Ele explicou que serão 880 leitos de enfermaria e de UTI no Hospital Municipal Ronaldo Gazzola, em Acari, e no Hospital Municipal de Campanha, no Riocentro – as duas unidades de referência da rede para o tratamento da doença.