Publicidade

Decisão judicial libera instalação de tomógrafo em templo da Igreja Universal na Rocinha A Justiça do Rio de Janeiro liberou a instalação de um tomógrafo em templo da Igreja Universal na Rocinha. A decisão derruba uma liminar que havia sido concedida na última quarta-feira pela juíza Roseli Nalin, da 15ª Vara de Fazenda Pública do Rio de Janeiro, e que impedia a instalação.

Na ocasião, a magistrada considerou não ser razoável a instalação de equipamento adquirido pelo poder público “em local diverso, privado, agravado pelo fato de ser uma igreja onde o sr. Prefeito é bispo licenciado”.

A decisão que derruba a liminar foi proferida pelo desembargador Rogério de Oliveira Souza. A questão era objeto de controvérsia judicial, já que o vereador Tarcísio Motta, do PSOL, pediu uma investigação ao Ministério Público. O vereador condena a insistência do prefeito na instalação do equipamento em local privado.

O parlamentar critica ainda outras ações do prefeito durante a pandemia.

Procurada, a prefeitura afirmou em nota que o tomógrafo que está sendo montado no estacionamento da igreja é uma instalação provisória, porque a prefeitura tem pressa de atender à população e a instalação nesse local é mais rápida.

Ainda segunda a nota, o critério de escolha dos locais para montagem dos tomógrafos levou em consideração a infraestrutura para instalação rápida dos equipamentos e a proximidade do metrô. O objetivo é atender a região nesse período de pandemia, quando o diagnóstico rápido é fundamental para salvar vidas.

Depois, os tomógrafos serão direcionados a unidades de saúde do município, em caráter permanente, como a UPA da Rocinha.