Teich pede demissão em menos de um mês à frente do Ministério da Saúde

Há menos de um mês no cargo, o ministro da Saúde, Nelson Teich, pediu demissão nesta sexta-feira (15). Teich tomou posse em 17 de abril, substituindo o então ministro Luiz Henrique Mandetta.

Assim como seu antecessor, Teich também discorda de vários posicionamentos do presidente Jair Bolsonaro sobre as medidas para combate ao coronavírus, principalmente sobre o uso da cloroquina.

Nos últimos dias, o presidente e Teich tiveram desentendimentos sobre:

• o uso da cloroquina no tratamento da covid-19 (doença causada pelo vírus). Bolsonaro quer alterar o protocolo do SUS e permitir a aplicação do remédio desde o início do tratamento.

• o decreto de Bolsonaro que ampliou as atividades essenciais no período da pandemia e incluiu salões de beleza, barbearia e academias de ginástica.

• detalhes do plano com diretrizes para a saída do isolamento. O presidente defende uma flexibilização mais imediata e mais ampla.

Na quarta-feira (13), Teich soube através da imprensa sobre a flexibilização de isolamento social autorizada pelo presidente, deixando evidente que não estava sendo respeitado como autoridade máxima da saúde no Brasil.

Substituto

O general Eduardo Pazuello vai assumir interinamente o cargo de ministro da Saúde. Pazuello foi nomeado secretário-executivo da pasta no dia 22 de abril. Ele despacha nesta sexta com Teich e, teria sido convidado para ficar no cargo.