Bolsonaro critica pedido de lockdown feito pelo Ministério Público do RJ O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (14), em Brasília, que a possibilidade de os estados aderirem ao lockdown é o "caminho para o fracasso". O termo em inglês significa confinamento e, na prática, se refere à imposição de medidas mais rígidas de isolamento social durante a pandemia do novo coronavírus. Bolsonaro também disse que o Brasil "está se tornando um país de pobres".

Nesta quinta, o Ministério Público do Rio sugeriu ao estado e à capital aderirem ao lockdown, com o fechamento de todas as atividades da economia não essenciais, para garantirem sucesso no combate à covid-19.

Os documentos encaminhados ao Governo do Estado e à Prefeitura foram divulgados hoje pelo órgão. Segundo o MPRJ, além das atividades não essenciais, deve ser paralisada a circulação de pessoas nas áreas mais críticas ao contágio do novo coronavírus, principalmente na capital e região metropolitana.

As regras, segundo o Ministério Público, devem levar em conta estudos técnicos e análises sobre as informações estratégicas em saúde, vigilância sanitária e epidemiológica, mobilidade urbana, segurança pública e assistência social.

Os limites territoriais do lockdown e as medidas a serem incluídas devem ser definidas pelo gestor público.

Segundo o Ministério Público, as diretrizes devem seguir as orientações da Organização Mundial da Saúde, da Organização Pan-Americana de Saúde e do Ministério da Saúde, que consideram o bloqueio total eficaz para a redução da curva de casos da doença.

O órgão recomenda também que sejam adotadas medidas de assistência social, para “assegurar condições de sobrevivência à população”. Além disso, também deve ser indicado um plano para a saída do lockdown.

O documento estipula um prazo de 72 horas para o cumprimento da recomendação tanto para o governo do estado quanto para a prefeitura da capital.