Coronavírus circulava no Brasil antes do Carnaval, revela estudo A Fundação Oswaldo Cruz confirmou o que vários especialistas já haviam cogitado: o novo coronavírus começou a se espalhar pelo Brasil por volta da primeira semana de fevereiro, mais de 20 dias antes do primeiro caso ser diagnosticado pelas autoridades de saúde. Ou seja, durante todas aquelas aglomerações do Carnaval, o vírus também estava circulando por aí.
O primeiro caso confirmado de Covid-19 pelo Ministério da Saúde foi registrado em 26 de fevereiro, na Quarta-Feira de Cinzas, em um passageiro que retornou da Itália para São Paulo.

Este estudo utiliza uma metodologia estatística a partir dos registros de óbitos, que indicam que a transmissão comunitária da doença no Brasil já estava em curso no início de fevereiro, ou seja, mais de 20 dias antes do primeiro caso ser diagnosticado em um viajante que retornou da Itália para São Paulo e quase 40 dias antes das primeiras confirmações oficiais de transmissão comunitária, em 13 de março.

Os autores da pesquisa destacam que, em todos os países analisados, a circulação da Covid-19 começou antes que fossem implementadas medidas de controle, como restrição de viagens aéreas e distanciamento social.

Apesar de vários países terem o início da transmissão comunitária em momentos muito próximos, a expansão da epidemia em cada localidade parece ter seguido uma dinâmica própria.

Além de ajudar a esclarecer o início de transmissão local do SARS-CoV-2 nos países estudados, os autores destacam que os resultados obtidos reforçam a importância da implementação de ações permanentes de vigilância molecular, uma vez que o novo coronavírus pode voltar a circular e causar surtos ao longo dos próximos anos.

O Brasil chegou ontem (11) a 168.331 casos confirmados do novo coronavírus, com 11.519 mortes. Já são 69.232 pacientes recuperados.