Prefeitura do Rio fecha parcialmente novas áreas com alto índice de aglomerações O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, anunciou que vai bloquear a circulação no calçadão de Bangu, a partir desta sexta-feira, 08/05. A decisão ocorre no mesmo dia em que foi feito o lockdown parcial no calçadão de Campo Grande, também na Zona Oeste.

– É uma medida de prevenção e preocupação com a saúde das pessoas que, infelizmente, insistem em se aglomerar em algumas áreas.

Bangu é um dos bairros de maior incidência de contágio do novo coronavírus (Covid-19), com 45 óbitos, e o segundo no ranking do Disk Aglomeração, com 13.6% do total de atendimentos. Campo Grande, cujo calçadão foi fechado à circulação hoje, 07/05, é responsável por 22% dos atendimentos e liderava as queixas de aglomerações, registrando 48 óbitos na região.

O prefeito disse que fará novos bloqueios focais caso as pessoas não se deem conta da gravidade da propagação do novo coronavírus. A orientação da Prefeitura do Rio é evitar aglomerações e usar máscaras nas ruas.

FEIRAS LIVRES

Crivella também anunciou a suspensão de funcionamento de 16 das 162 feiras livres da cidade, por uma semana. A medida foi tomada depois que equipes de fiscalização da Coordenação de Feira constatou irregularidades e descumprimento às regras estabelecidas para prevenção ao novo coronavírus determinadas pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento, Emprego e Inovação (SMDEI).

– Todos lembram que fizemos recentemente um acordo com as feiras, e algumas não estavam cumprindo. Por isso, essas serão suspensas – afirmou Crivella.


Punição só para quem não respeitou

A suspensão das feiras livres já havia sido determinada pelo prefeito Marcelo Crivella no dia 22/04, por 10 dias.  Porém, o prazo de suspensão encurtou e no dia 29/04 as barracas voltaram a ser montadas. A reabertura foi possível após compromissos firmados no Termo de Ajuste de Conduta (TAC), que feirantes e prefeitura firmaram no dia 28/04. A determinação de hoje atinge, apenas, as feiras livres que não seguiram os termos acordados.

– A Prefeitura está buscando conciliar as atividades com a prevenção. Todos precisam trabalhar, mas tomando os cuidados necessários. Não podemos afrouxar. As medidas para frear a contaminação salvam vidas – alerta Cláudio Souza, secretário da SMDEI.

Medidas importantes
O uso de máscara, a disponibilização de álcool gel para feirantes e fregueses, o distanciamento entre as barracas e o controle para evitar aglomerações foram alguns dos termos do documento.


Fiscalização

Os fiscais da Coordenação de Feiras, que é vinculada à SMDEI, atuarão nas feiras da cidade. No caso de descumprimento, serão tomadas as providências legais cabíveis, que pode levar a suspensão por até 02 semanas dos feirantes ou das feiras em sua totalidade. Além disso, há a possibilidade do pagamento de multa diária de R$ 20 mil.