Amigos lamentam morte do repórter Márcio Garçone Amigos de Márcio Garçone usaram as redes sociais para lamentar a morte do repórter do programa Fala Baixada, da Rede CNT, nesta terça-feira (05). Garçone foi vítima de Covid-19.

“Triste a partida do amigo Márcio Garçone. Que o Senhor conforte o coração da família e de seus muitos amigos. Cuidem-se”, escreveu o jornalista Niel Martins, ex-colega de Garçone na Rádio Melodia.

O amigo Daniel Pereira lembrou os encontros que Deus lhes permitiu.

“Muita tristeza. Infelizmente perdemos o nosso querido Marcio garçone. Estudamos na mesma turma, na Escola Municipal Baden Powell, e depois tivemos a surpresa de termos escolhido a mesma profissão. Perdemos um grande amigo, e um baita comunicador, Melodia FM, 93 FM, Rede Aleluia e por ai vai. Trabalhamos juntos, pela última, vez em 2018, na 107,3 FM, em Nova Iguaçu, onde eu lhe rendia todos os dias. Amigo, descanse em paz. Que o Senhor DEUS , venha confortar toda família. Sentiremos saudades, amigo.”

Na última sexta-feira (1), após 18 dias Garçone foi extubado, quando o paciente é tirado do tubo de respiração, e passou a ser tratado pela traqueostomia. Ele acabou contraindo uma bactéria, o que acabou prejudicando seu quadro clínico.

Dias antes, sua filha foi às redes sociais e pediu para que as pessoas tenham atenção com o coronavírus.

“Peço que, por favor, acreditem na gravidade da Covid-19 e respeitem o isolamento social. Meu pai é uma pessoa nova, que pratica exercício regularmente, tem uma alimentação saudável e não tem nenhuma doença preexistente. Esse vírus é algo completamente desconhecido e não faz acepção de pessoas”, postou.

O irmão de Garçone, Lúcio Garçone, também fez um pedido na noite desta terça-feira (05).

“Meu irmão Márcio Garçone, cria do nosso bairro (Guadalupe), partiu pra glória. Motivo da partida: covid 19. Por favor, gente vamos respeitar. Fiquem em casa. Minha certeza é que ele está com o Senhor Jesus”, escreveu no Facebook.

Garçone começou sua carreira como locutor em 1988. Além da Melodia, ele teve passagens pelas rádios Continental, 93 FM, FM 105 e Gospel FM. Outra paixão de Márcio Garçone era a arbitragem. Ele era juiz federado de futebol.

Garçone estava noivo de Elis Siqueira e deixou duas filhas, Laísse, já casada, e Geovanna, uma adolescente especial.