Eduardo Bolsonaro chama Moro de espião em domingo de manifestação na Esplanada O deputado federal Eduardo Bolsonaro falou, neste domingo (3) no Twitter, sobre o depoimento que o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro prestou à PF (Polícia Federal) no sábado (2). "Moro não era ministro, era espião", escreveu Eduardo.

Segundo o deputado, "realmente é preciso muito tempo dando depoimentos a delegados amigos para ver se acham algo contra Bolsonaro".

O depoimento de Moro durou cerca de oito horas e o ex-ministro foi interrogado por delegados da PF e representantes da PGR (Procuradoria-Geral da República).

Acredita-se que Moro tenha apresentado provas que sustentem suas acusações contra o presidente, como e-mails, áudios e trocas de mensagens. Em pronunciamento de demissão, Moro acusou Bolsonaro de interferência na PF com a troca de Maurício Valeixo da chefia da corporação.

Também pela manhã, Eduardo Bolsonaro acompanhou o pai, presidente Jair Bolsonaro, na adesão ao protesto contra o ex-ministro Sergio Moro, o Supremo Tribunal Federal e o Congresso. Junto com aliados, eles se posicionaram na rampa do planalto para acompanhar de longe a carreata de apoiadores.

Bolsonaro foi ao encontro dos manifestantes que estenderam uma bandeira gigante do Brasil.

Bolsonaro afirmou que não vai mais "admitir interferência" em seus atos no governo. E disse que "acabou a paciência".

“Nós queremos o melhor para o nosso país. Queremos a independência verdadeira dos três poderes, e não apenas uma letra da Constituição, não queremos isso. Chega de interferência. Não vamos admitir mais interferência. Acabou a paciência. Vamos levar esse Brasil para frente”, declarou o presidente.

Siga-nos