Publicidade

Pesquisa vai mapear a disseminação da Covid-19 no Rio de Janeiro Começou nessa terça-feira (28) a fase de testes do projeto Dados do Bem, que pretende fazer o mapeamento epidemiológico da covid-19 na população do Rio de Janeiro. O objetivo da pesquisa, que envolve médicos, pesquisadores e cientistas da informação, é analisar a disseminação do novo coronavírus e contribuir para o combate à pandemia.

A equipe do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (Idor) na área de saúde e da Zoox Smart Data, empresa da área de inteligência artificial e big data (obtenção e análise de grandes volumes de dados), desenvolveu uma ferramenta tecnológica para criar mapas de distribuição da covid-19, identificando as áreas de concentração da transmissão e viabilizando a análise da evolução da imunidade na população.

Para participar da pesquisa, é necessário baixar o aplicativo Dados do Bem, disponível para os sistemas Android e iOS, e preencher o cadastro. Um questionário de autoavaliação vai recolher, de forma anônima, dados sobre sintomas da covid-19 e histórico de saúde dos participantes. Nesta primeira fase, serão testados prioritariamente profissionais de saúde.

De acordo com as respostas, caso seja identificada uma alta probabilidade de contágio pelo novo coronavírus, o participante receberá uma indicação para fazer o teste gratuito, com dia e horário marcado. A tenda de testagem foi montada no estacionamento do Via Parque Shopping, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro.

Quem fizer o teste presencial e for diagnosticado com covid-19 poderá indicar até cinco pessoas com quem teve contato, para que elas também participem da pesquisa. Os dados de quem não tiver sintomas também serão importantes para a pesquisa, pois contribuem para o mapeamento da evolução da epidemia. Com isso, os pesquisadores pretendem fazer um levantamento geográfico e compreender a dinâmica local do contágio.

De acordo com Fernando Bozza, médico e pesquisador do Idor e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), coordenador da equipe que elaborou o algoritmo do aplicativo, o acúmulo de dados e informações é fundamental para compreender e combater a pandemia.

“Essas ferramentas permitem o entendimento da dinâmica de transmissão do vírus e evolução da epidemia, para o planejamento de ações de contenção mais efetivas. Com a indicação, a identificação e a avaliação das pessoas que tiveram contato com os infectados, será possível mapear e acompanhar um maior número de casos positivos de forma mais assertiva.”

A Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro também vai usar a tecnologia para a aplicação de testes e posterior avaliação das medidas de isolamento social, segundo o secretário Edmar Santos.

“Os dados recebidos do projeto nos nortearão sobre as medidas de isolamento social necessárias e os pontos de maior atenção do estado para direcionarmos as estratégias de enfrentamento da covid-19”.

Fake News
A notícia sobre o Dados do Bem circulou segunda (27) por meio do aplicativo WhatsApp. Porém, informava erroneamente que os testes estavam sendo feitos de forma ampla pela Rede D’Or, de hospitais privados, para pessoas com suspeita de covid-19. A mensagem direcionava para a informação correta:

“Algumas pessoas cujas respostas ao questionário apontarem para uma alta probabilidade de infeção serão convidadas para fazer um teste gratuito, com dia e horário marcados. Esta seleção vai proporcionar uma amostra populacional para o estudo da propagação da Covid-19”.

O projeto divulgou, no fim da tarde, uma nota de esclarecimento sobre a questão, afirmando que os testes realizados ontem foram apenas o piloto da iniciativa.

“Esclarecemos que esse é um projeto novo, que hoje, dia 27 de abril, está realizando apenas um piloto e não está em operação. A iniciativa em breve será divulgada, mas inicialmente, a parte de testagem, na Tenda Dados do Bem, será voltada somente aos profissionais de saúde, devidamente identificados e com QR Code gerado pelo aplicativo para a realização dos mesmos.”



*Agência Brasil