Número de curados de coronavírus na Itália é cada vez maior A fase mais letal da pandemia pode estar chegando ao fim na Itália. Em apenas um dia mais de 2.500 contaminados pelo coronavírus foram curados. Há um mês o país mais castigado pela Covid-19 na Europa observa a quantidade de pacientes diminuir nas UTIs. Um sinal de que a fase de isolamento social está prestes a diminuir.

Segundo o Conselho Superior da Saúde da Itália, em 3 de abril havia 4.068 pacientes nas UTIs, hoje há um pouco mais de 2.800. Um número inédito desde 20 de março.

Na sexta-feira (17), as autoridades ainda anunciaram 575 mortos em 24 horas, aumentando o balanço para 23 mil óbitos desde o início da epidemia. Mas outros dados fazem o país acreditar em dias melhores, como a estabilização da quantidade de doentes.

Além disso, em mais de 65 mil testes realizados em um dia - outro recorde - apenas 5% acusaram positivo ao coronavírus. As autoridades consideram estes números como reflexo "da eficácia das medidas de confinamento tomadas para barrar o contágio".

Com a quantidade de doentes baixando, os italianos estão ansiosos para a saída do confinamento. "Estamos nos preparando para reabrir em 4 de maio", afirma Atilio Fontana, governador da Lombardia, a região mais castigada da Itália pela Covid-19, com 12 mil mortos.

Em vigor desde 9 de março, as medidas estritas de confinamento estão em vigor até 3 de maio. Mas o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, sofre uma forte pressão do empresariado pela reabertura de lojas e comércios.