Publicidade

Mutirão Humanitário vai distribuir 2,5 milhões de cestas básicas no RJ O Governo do Estado começa a entrega das primeiras 60 mil cestas básicas para famílias em situação de vulnerabilidade social durante o período de isolamento social por conta da pandemia do novo coronavírus, a partir da próxima semana (22 de abril). Os primeiros beneficiados do Mutirão Humanitário serão moradores de Queimados e Itaboraí que possuem Cadastro Único (CadÚnico), base de dados para o Bolsa Família.

Quase um milhão de cestas devem ser entregues a 2,5 milhões de pessoas na capital, Baixada Fluminense, São Gonçalo e Itaboraí. As cestas contêm alimentos e material de higiene e limpeza, importantes para a prevenção do Covid-19.

- Essa é uma ação emergencial, porque a fome não espera e as pessoas precisam ter acesso a produtos de limpeza para se protegerem do vírus. Estamos fazendo nossa parte, mantendo as pessoas em casa e expandindo a rede de Saúde estadual para atender a todos. Juntos, vamos vencer essa pandemia – disse o governador Wilson Witzel.

Terão prioridade famílias em situação de extrema pobreza (com renda mensal de até R$ 89/pessoa), de pobreza (R$ 178/pessoa) e de baixa renda (até meio salário mínimo) na primeira fase da distribuição. Grande parte dessas famílias são chefiadas por mulheres.

Como receber a cesta
Para evitar aglomerações, a entrega das cestas será feita via agendamento prévio, que será divulgado pelo Governo do Estado por telefone. As famílias com perfil atualizado no CadÚnico receberão duas mensagens por SMS: a primeira, informará que a pessoa tem direito à cesta básica; a segunda mensagem enviará um código eletrônico, o QRCode, e o número da cesta, informando dia, hora e local para ir buscar o benefício. O objetivo é evitar aglomerações.

- Usamos a tecnologia para produzir um estudo que nos mostre o número de pessoas em relação a quantidade de equipamentos públicos de cada local. Estamos tendo o cuidado de articular toda a distribuição para que não haja aglomerações. Por isso, vamos especificar o dia, horário e local para cada beneficiário – explica o vice-governador Claudio Castro.

O calendário de distribuição das cestas básicas vai ser divulgado nos canais oficiais do Governo do Estado do Rio e na imprensa. A navegação neste site será gratuita, não consome pacote de dados da população e não necessita de uma rede wi-fi.

Já aquelas pessoas que não costumam usar a internet podem validar seus dados e receber o cupom impresso nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras). Quem vive em isolamento social, como idosos, será atendido por assistentes sociais ou agentes comunitários de saúde dos municípios.

Só receberá a cesta básica quem estiver com o cupom contendo número da cesta, data, hora e local de entrega. O beneficiário terá que levar ao posto de distribuição, obrigatoriamente, o cupom e um documento de identificação com foto. Cada pessoa pode ir com um acompanhante somente para a retirada da cesta. A ideia é evitar aglomerações nos postos de entrega.

Logística da entrega
As secretarias de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos (SEDSODH), de Governo, de Educação, de Polícia Militar, de Defesa Civil, além da Fundação Leão XIII e do Detran-RJ estarão envolvidas na distribuição das cestas básicas, em parceria com as prefeituras locais. A central de distribuição das cestas básicas fica no Riocentro. Já os beneficiários vão retirar as cestas em equipamentos públicos como escolas, Faetec’s, Cras, vilas olímpicas e equipamentos culturais.

As primeiras cestas básicas serão compradas com recursos próprios do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social (SEDSODH) e da Fundação Leão XIII, no valor aproximado de R$ 23 milhões. Mas, nesta primeira fase, o custo das cestas é estimado em R$ 100 milhões. Para complementar os recursos necessários, o governo está incentivando a criação de um fundo privado, para receber doações da sociedade civil e empresas.

A consulta dos beneficiários pode ser feita pelo site mutiraohumanitario.com.br.