China censura cruz e cultos online A pandemia de Covid-19 que se espalhou rapidamente por toda a China não reduziu a velocidade da campanha de demolição cruzes em igrejas de todo o país comunista. A perseguição aos cristãos se tornou ainda mais intensa e por lá nem os cultos online são permitidos.

A Revista “Bitter Winter” relata que pelo menos 70 cruzes foram removidos das igrejas desde a primavera passada e este número é cada vez maior durante a pandemia.

Em fevereiro deste ano, um representante do governo da cidade de Zhuangwu contratou trabalhadores para remover uma cruz de uma igreja na aldeia de Hexi. O representante disse que achava que a cruz deixaria seus superiores desconfortáveis e que ele poderia ser demitido por causa disso.

O edifício da igreja foi construído há 13 anos e os líderes dela seguiram os quatro requisitos da campanha de "sinicização" da religião do governo desde que foram instituídos em 2018.

Segundo a CBN News, essas regras incluem:
- Erguer ritualmente a bandeira nacional, frequentemente enquanto canta o hino nacional;
- Ensinar crenças e promover a Constituição, leis e regulamentos chineses;
- Pregar e promover os "Valores Socialistas Principais"; e
- Promover "a excelente cultura tradicional da China".

Apesar de cumprir os regulamentos do governo, a cruz foi removida do prédio.
O governo chinês também interrompeu todas as reuniões religiosas como resultado do surto de coronavírus.

"O governo não fornece ajuda suficiente durante a epidemia, mas destrói as cruzes", disse um crente local à revista.

Também há relatos de ameaças de fechamento de igrejas sob a alegação de a cruz ser “mais alta que a bandeira nacional".

Outras cruzes também foram removidas das igrejas naquele mesmo mês, com autoridades locais dando aos líderes da igreja a mesma desculpa.

Um funcionário do condado disse que as cruzes "eram atraentes demais" e que "chamariam a atenção das pessoas para as igrejas".

Uma cruz também foi removida da Grace Church, que é a única igreja para protestantes de ascendência coreana em Luobei.

Depois que a cruz foi removida pelas autoridades locais, o pastor encorajou sua congregação que, apesar de ter sido fisicamente removida do prédio, "a cruz não pode ser tirada do coração", segundo a revista Bitter Winter.

Cultos online banidos
O ministério Bitter Winter é conhecido por denunciar a perseguição imposta pelo no regime comunista. E apresenta outra grave denúncia sobre liberdade religiosa: o banimento de celebrações cristãs transmitidas online.

Dois conselhos cristãos da região descobriram a estratégia dos cristãos e emitiram um aviso em 23 de fevereiro, exigindo que todas as igrejas da província parassem de transmitir seus cultos imediatamente.

A notícia chocou pastores de outros países, que têm levantado um clamor em favor da liberdade religiosa no país comunista.