Rio de Janeiro prorroga decreto de isolamento social até o dia 30 de abril O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, prorrogou até o dia 30 de abril as medidas de prevenção e enfrentamento do novo coronavírus no estado. De acordo com o decreto, publicado nesta segunda-feira, com o número crescente de casos da Covid-19, ainda há a necessidade de manter a situação de emergência.

Continuam em vigor, portanto, medidas como o fechamento de escolas públicas e privadas, creches e instituições de ensino superior e a suspensão da realização de eventos esportivos, shows, feiras científicas, entre outros – em local aberto ou fechado. Também segue suspenso o funcionamento de cinemas, teatros e afins, além de academias, centros de lazer e esportivos e shoppings.

A população também continua proibida de frequentar praias, lagoas, rios e piscinas públicas e clubes. Somente serviços essenciais – supermercados, açougues, padarias, lanchonetes, hortifrutis, farmácias, lojas de conveniência – podem continuar funcionando, mas sem deixar de lado as medidas de segurança para evitar aglomerações. Os demais tipos de comércio só podem realizar atendimento em domicílio.

O decreto prevê ainda que as autoridades competentes deverão apurar as eventuais práticas de infrações administrativas e crimes previstos, em caso de descumprimento das medidas.

Na cidade do Rio, no entanto, segue valendo o decreto do prefeito Marcelo Crivella que proíbe até mesmo a abertura de restaurantes e lanchonetes ao público, autorizando apenas a retirada de pedidos e entregas em domicílio.

O boletim mais recente da Secretaria Estadual de Saúde indica que o Rio de Janeiro tem 3,2 mil casos confirmados de coronavírus com 191 mortes. Não há informações sobre o número de curados no estado.