Silas Malafaia chama de “vergonha” decisão da Justiça sobre cultos O pastor Silas Malafaia usou as redes sociais para protestar contra a determinação da Justiça do Rio de Janeiro determinou que impede a realização de cultos em suas igrejas, a Assembleia de Deus Vitória em Cristo. A decisão do desembargador Agostinho Teixeira ocorreu na última quinta-feira (09). O magistrado acolheu um pedido do Ministério Público estadual e estabeleceu uma multa de R$ 10 mil em caso de descumprimento.

Em um vídeo, Malafaia afirma ser “absurda” e uma “vergonha” a proibição, uma vez que, desde 19 de março, as portas dos templos da Advec estão fechadas para evitar aglomeração em meio à pandemia de coronavírus.

“É (uma decisão) absurda. Ninguém pode ser processado duas vezes”, ressaltou Silas Malafaia. “É uma vergonha. O processo foi redistribuído. O desembargador não teve nem o trabalho de ver que já havia uma decisão”, disse o pastor.

Em 21 de março, o também desembargador Sérgio Seabra, do Tribunal de Justiça do Rio, deferiu, em parte, uma liminar que mantinha as igrejas fechadas para cultos presenciais, mas abertas para receber pessoas, sem aglomeração.

É o que Silas Malafaia tem seguido desde então. Ele realiza os cultos pela internet, mas mantém os templos abertos, pois acredita que a população precisa de orientação espiritual neste momento de tanto medo e incertezas.

No estado do Rio, a Assembleia de Deus Vitória em Cristo conta com 70 templos. Só na sede principal, na Penha, Zona Norte, a capacidade é para 6.580 fiéis.