Publicidade

Bolsonaro desiste de demitir Mandetta O presidente Jair Bolsonaro desistiu, ao menos por enquanto, de exonerar Luiz Henrique Mandetta do cargo de ministro da Saúde. Bolsonaro teria sido convencido por militares, como os ministros Walter Braga Netto (Casa Civil) e Luiz Eduardo Ramos (Governo), de que a melhor decisão seria manter o ministro.

Na semana passada, Bolsonaro afirmou que faltava "humildade" ao atual ministro, expondo seu desconforto com Mandetta no enfrentamento ao coronavírus.

Há duas semanas, em pronunciamento oficial, Bolsonaro disse que autoridades estaduais e municipais deveriam abandonar o "conceito de terra arrasada", com proibição de transportes, comércio fechado e confinamento em massa: "O que se passa no mundo tem mostrado que o grupo de risco é de pessoas acima de 60 anos. (...) Nossa vida tem que continuar, os empregos devem ser mantidos. O sustento das famílias deve ser preservado".

A fala foi diretamente de encontro às recomendações do ministério da Saúde, que tem defendido o isolamento social como a forma mais eficaz para conter a disseminação do coronavírus.