Evangélicos oram por Bolsonaro no Dia Nacional de Jejum e Oração Contra a covid-19, um grupo de evangélicos começou este domingo (05) fazendo uma oração em frente ao Palácio da Alvorada, residência oficial do presidente da República, Jair Bolsonaro. Veio dele e de líderes religiosos a convocação dos fiéis para o Dia Nacional de Jejum e Oração.

O grupo faz parte da m, de Ceilândia, no Distrito Federal. Os fiéis vestiam roupas verde e amarelo e se comprometeram a jejuar até o meio-dia.

Ao longo do domingo, outros grupos se movimentam para ir ao Alvorada. A agenda de Bolsonaro não traz compromissos oficiais.

"Se eles errarem e perecerem, nós também iremos perecer. Se eles tomarem a decisão certa, nós seremos abençoados", disse a pastora Ramiria Soares do Amaral Susstrunk ao Estadão, afirmando que os fiéis estavam orando pelas autoridades do país.

A ideia do jejum oficial partiu de uma pregação do apóstolo Luiz Hermínio, líder da congregação Mevam (Missões Evangelísticas Vinde Amados Meus), cuja sede é em Itajaí (SC). E foi prontamente aceita por Bolsonaro e abraçada por evangélicos de todo o Brasil. De vertente pentecostal e entusiasta de Bolsonaro desde as eleições de 2018, o pastor fez um apelo ao presidente, governadores e prefeitos para que decretem oficialmente um “jejum de arrependimento” no país para conter a pandemia do coronavírus.